93% da população de Teresina aprova o Programa Lagoas do Norte

O Programa também foi associado ao conceito de melhoria da qualidade de vida por 42,27% dos entrevistados. A maioria, 79,26%, também confia que todas as obras programadas pelo Lagoas do Norte serão realizadas.

“Antes a gente sentia o preconceito por morar num lugar fedido, cheio de mato, que escondia uma beleza extraordinária: duas lagoas lindas.

Hoje, temos orgulho de falar que moramos na melhor área de Teresina”, relata Beronizia Gomes da Silva, moradora do bairro São Joaquim, zona norte da capital. A opinião de Beronizia é compartilhada por 93,43% da população de Teresina, que aprova as obras e ações realizadas pelo Programa Lagoas do Norte.

O Programa também foi associado ao conceito de melhoria da qualidade de vida por 42,27% dos entrevistados. A maioria, 79,26%, também confia que todas as obras programadas pelo Lagoas do Norte serão realizadas.

Os dados foram contabilizado em pesquisa realizada pelo Instituto Amostragem, com um total de 4 mil domicílios visitados neste segundo semestre. O instituto entrevistou a população de todas as regiões, com maior número de questionários aplicados na zona Norte da cidade, área atendida pelo Programa. Segundo o levantamento, 89,29% da população total acredita que o Programa Lagoas do Norte melhora a vida das comunidades atendidas com obras e serviços.

Beronizia mora em uma área que foi transformada durante a primeira fase do Programa, nas proximidades do Parque Lagoas do Norte. A moradora foi testemunha do quanto o planejamento e as obras conseguiram modificar a vida da população. “Há sete anos eu morava em uma área de risco, a 30 metros de um bueiro a céu aberto. Na lateral da minha casa tinha um terreno baldio que era depósito de lixo diário. Depois que o Programa Lagoas do Norte começou, mudou totalmente a capacidade de visão do que a gente tinha antes e do que é hoje”, conta.

Atualmente, o Programa está na sua segunda fase. Entre as obras estão a finalização da construção do Canal do Matadouro; a requalificação urbana e ambiental das lagoas dos Oleiros, Piçarreira, Mazerine e São Joaquim; e ainda a elaboração de um projeto de reestruturação dos diques dos rios Poti e Parnaíba.

Em breve reiniciará a etapa final do Canal do Matadouro, importante intervenção para a região. O projeto prevê finalização da drenagem, requalificação de oito vias de acesso ao canal e a urbanização do local, com instalação de iluminação pública, melhorias habitacionais, bancos, academia popular, paisagismo, playground, ciclovia e passeios. A empresa licitada está iniciando a instalação do canteiro de obras.

“Melhorar a condição de vida das pessoas é a missão primordial do Programa Lagoas do Norte. O resultado dessa pesquisa é extremamente gratificante porque é a certeza de que as pessoas reconhecem isso e enxergam que o nosso propósito é proporcionar uma transformação não apenas física, com obras, mas que essas pessoas possam ter dignidade para o resto de suas vidas”, afirma Márcia Muniz, diretora geral do Lagoas do Norte.

Dentro dessa missão, o Programa Lagoas do Norte acompanha de perto as condições de vida das pessoas que vivem em sua área de abrangência e trabalha sempre para diminuir a quantidade de reassentamentos. Para as famílias que permanecem, os técnicos avaliam as condições de moradia e, caso necessário, são feitas melhorias nos imóveis, como construção ou reforma de banheiros, cozinhas e esgotamento. Para aqueles que não têm condições de permanecer, principalmente levando em conta a insalubridade dos imóveis, são oferecidas três alternativas de reassentamento – indenização, reassentamento monitorado e casa ou apartamento novo no Residencial Parque Brasil.

“Com esse contato e acompanhamento, o Programa cumpre sua missão de garantir que as pessoas que moram na zona norte de Teresina possam viver melhor, com saúde e qualidade de vida”, ressalta a coordenadora do Programa.



CLIQUE AQUI PARA CURTIR A FRON PAGE DA MANCHETENET




Fonte:Redação Manchete Net/ Lagoas do Norte/PMT-PI