Acusado de assassinar ex-prefeito de Altos é condenado a mais de 18 anos de prisão

Raimundo Nonato Alves da Silva foi condenado a 18 anos e nove meses de prisão. A decisão é do juiz Danilo Melo de Sousa, da 1° Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina.

Nesta segunda-feira (25), Raimundo Nonato Alves da Silva, acusado de assassinar o ex-prefeito de Altos, César Augusto Leal Pinheiro, foi condenado a 18 anos e nove meses de prisão. A decisão foi dada pelo juiz Danilo Melo de Sousa, da 1° Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina.

César Augusto Leal Pinheiro era pai da atual prefeita de Altos, Patrícia Leal. O caso aconteceu no ano de 1996, quando a vítima ainda exercia o mandato de prefeito. O inquérito policial foi conduzido pelo 14° Distrito Policial.

A vítima foi assassinada com cinco tiros na cabeça, dentro de sua casa em Altos, diante da família. O Ministério Público do Piauí denunciou Raimundo Nonato por homicídio qualificado mediante o pagamento de uma recompensa e sem tornar possível a defesa da vítima.

Ele foi acusado de ter efetuado os disparos que tiraram a vida da vítima em troca de um pagamento de R$ 50 mil. O vice de César Leal, Antônio Orlando da Silva, respondeu a processo no Tribunal do Júri como mandante do crime em 2016, mas os jurados, apesar de reconhecerem a autoria do acusado, votaram pela absolvição dele.

Na época, após o crime, Antônio Orlando chegou a assumir o cargo de César Leal.

Em liberdade

Raimundo Nonato Alves da Silva foi submetido a julgamento pelo Tribunal do Júri e o Conselho de Sentença decidiu condená-lo pela prática do crime. Apesar da condenação, o réu, que respondeu parte do processo preso e hoje está em liberdade, não começará a cumprir pena agora.

“Concedo ao sentenciado o direito de recorrer em liberdade, uma vez que assim se encontra no presente momento, não havendo motivo novo (para a prisão)”, declarou o juiz Danilo Melo de Sousa na decisão.



CLIQUE AQUI PARA CURTIR A FRON PAGE DA MANCHETENET




Fonte:Redação Manchete Net/G1 Piauí