A polêmica em torno da paternidade das obras do Aeroporto de Vitória da Conquista não se esgotou com a confirmação da ausência do governador Rui Costa (PT) , sob a justificativa de que não pode concordar com a “exclusão do povo” em um evento político-partidário.

Momentos após o deputado federal Paulo Azi, presidente do DEM na Bahia, afirmar que Rui quer se fazer de vítima para enganar população”, o prefeito ACM Neto, presidente nacional do DEM, um dos rivais do governador escalados pelo Palácio do Planalto para discursar no evento, já rearruma sua agenda para integrar a comitiva de 500 convidados do presidente Jair Bolsonaro (PSL). O prefeito tinha dois compromissos marcados para esta terça-feira (23) na capital baiana, mas sua pretensão é desmarcá-los e embarcar para Vitória da Conquista.

Rui, por sua vez, não apenas cancelou sua ida, como decidiu por não enviar nenhum representante ao ato, que ocorre em uma cidade, cujo eleitorado é maioria petista e após o presidente proferir críticas ao Nordeste.

Nem mesmo o deputado federal Sargento Isidório (Avante), aliado de primeira hora do governador Rui Costa (PT), que durante a visita do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que foi convidado pelo ministro de governo do presidente Bolsonaro, Luiz Eduardo Ramos, para participar da inauguração do aeródromo, junto com a comitiva do presidente.

Na ocasião, Isidório sugeriu, sem sucesso, palanque único, ao invés de “palanque de guerra”, entre Rui e o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL). (Política Livre).Com as informações do portal Barra Grande 24 horas.