Dias Toffoli, depois da avassaladora derrota sofrida esta semana no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF),

na questão do compartilhamento de informações da Receita Federal e da Unidade de Inteligência Financeira (UIF) com o Ministério Público, dá mostras de que está absolutamente atordoado.

O ministro, na condição de presidente da corte, sugeriu ao colegiado que nos casos onde haja réus delatores e delatados, a sentença só possa ser anulada se preenchidos três requisitos:

As delações premiadas do processo específico precisariam ter sido homologadas previamente pela Justiça.

A defesa deveria ter questionado a ordem das alegações finais na primeira instância.

E, por fim, precisaria ser comprovado que a ordem das alegações causou prejuízo à defesa.

Em sendo acatada a ‘sugestão’ de Toffoli, certamente será confirmada a decisão do TRF-4 no caso do sítio de Atibaia.

E Lula estará fatalmente definitivamente liquidado.

E quando se trata de ‘sugestão’ contrária aos interesses do meliante petista, Dias Toffoli é insuspeito.