Foto divulgação

O ex-ministro e advogado Gustavo Bebianno, morto na madrugada deste sábado (14), em decorrência de um infarto fulminante, contou detalhes ao Estadão, em entrevista no último dia 10, sobre uma carta que escreveu para o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) logo após ser demitido, em fevereiro de 2019.

Bebianno conta que falou sobre o filho do presidente Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). “Eu disse que Carlos não sabia amar, era nutrido por ódio o tempo inteiro. Ninguém o ensinou a amar. Ele não aprendeu”, contou.

Cópias da carta foram entregues para o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, então chefe da Casa Civil; o general Maynard Santa Rosa, que ocupava o cargo de chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE); e para o ator Carlos Vereza, que se aproximou do presidente e também se tornou seu amigo.

“É bom me preservar. Além disso, os policiais em questão não fizeram nada de errado. Nem sei se de fato se prestariam a atender às loucuras do Carlos. Não vou prejudicar ninguém, porque não sei o que fizeram ou não”, justificou.

CLIQUE AQUI PARA CURTIR A FRON PAGE DA MANCHETENET


Fonte:Redação Manchete Net/Revista forum