O senador norte-americano Bernie Sanders anunciou nesta quarta-feira (8) que encerrou sua pré-campanha à presidência dos Estados Unidos, abrindo caminho para que o Partido Democrata escolha o ex-vice-presidente Joe Biden para a disputa presidencial de novembro contra Donald Trump.

Sanders fez o anúncio do fim de sua campanha em uma ligação para os membros de sua equipe.

A saída de Sanders ocorre após um bom desempenho no senador pelo estado de Vermont nas três primeiras disputas, em fevereiro. Ele era o favorito à indicação do partido naquele momento até que Biden conquistou uma vitória expressiva na Carolina do Sul, que consolidou a ala moderada do partido.

Atualmente, as primárias estão suspensas na maior parte dos EUA em razão do avanço do novo coronavírus.O país já registrou 399.979 casos e 12.912 mortes pela doença, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

A saída de Sanders da disputa democrata é um duro golpe para os progressistas, que ganharam espaço durante e após a campanha de 2016 e comandaram os debates do Partido Democrata nos últimos anos com foco em questões como assistência médica, mudanças climáticas e os efeitos da crescente desigualdade econômica.

Mas apesar de suas políticas se tornarem mais populares ao longo dos anos, o senador de Vermont ainda lutava para ampliar seu próprio apoio e formar uma coalizão vencedora. Agora, como ele fez depois de deixar a primária de 2016, Sanders deverá apoiar o candidato escolhido para a disputa presidencial da forma que está mais acostumado: como um outsider.

Biden já fez gestos em direção à base de Sanders, que formou um movimento nos últimos cinco anos que pode ser crucial para derrotar Trump. Se o ex-vice-presidente tomará as medidas necessárias para conquistar o apoio, e até que ponto Sanders o apoiará, ainda são questões sem reposta.

A campanha Sanders realizou seu último evento público ao vivo em 9 de março, passando de comícios estridentes para uma operação totalmente digital. Nessa fase, ele se comunicou quase que exclusivamente por meio virtual em transmissões focadas na crise dos coronavírus – e em como sua agenda progressiva, encabeçada pelo Medicare for All – algo como a universalização do sistema de saúde –, poderia ter evitado ou diminuído o impacto da doença nos EUA.

Em sua conta no Twitter, Trump comentou a desistência de Sanders. “Bernie Sanders está FORA! Obrigado, Elizabeth Warren. Se não fosse por ela, Bernie teria vencido em quase todos os estados na Superterça!”, escreveu o presidente norte-americano.

“Isso terminou exatamente como os democratas e o DNC [sigla em inglês para Comitê Nacional Democrata] queriam, mesmo fiasco que a desonesta Hillary [Clinton]. A equipe de Bernie deveria se juntar ao Partido Republicano”, completou.

Manchetenet com informações CNN