Bolsonaro e sua nova base de apoio na Câmara Federal

Jair Bolsonaro chamou para conversar os presidentes do DEM, ACM Neto, e do MDB, Baleia Rossi.

O encontro do presidente com o deputado emedebista está marcado para esta quarta (22), e a reunião com o prefeito de Salvador, para quinta (23).

O gesto do Planalto ocorre menos de uma semana após a demissão de Luiz Henrique Mandetta e em meio aos ataques de Bolsonaro a Rodrigo Maia –Mandetta e Maia são do DEM.

Por ora, os dois partidos estão fora das negociações por cargos de segundo escalão, oferecidos por Bolsonaro a siglas como PP, Republicanos, PSD e PL para tentar formar uma base de sustentação no Congresso.

Progressistas, PL e Republicanos reforçarão a nova base aliada ao Planalto. O acordo  não envolve reforma ministerial, mas terá repercussão em cargos de segundo e terceiro escalões. O PL fica com a direção do Banco do Nordeste; Republicanos com cargos no Ministério do Desenvolvimento Regional e o Progressistas com o DNOCS. A Codevasf também faz parte dos entendimentos. Segundo informações de Brasília, a exigência do Planalto com as indicações é o total distanciamento do PT. Uma rigorosa pesquisa será feita sobre os indicados para os cargos. Com o centrão no governo, a ideia é assegurar sólida base aliada ao Planalto nas duas Casas do Congresso Nacional e tirar poder de ação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e do Senado, Davi Alcolumbre.

Manchetenet com informações/Oantagonista/cidadeverde