(Pequim - China, 24/10/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro.rFoto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou neste sábado (2), em entrevista ao site O Antagonista, as tentativas de acusá-lo de uma possível obstrução à Justiça por ter conseguido acesso aos áudios registrados na portaria de seu condomínio.

O mandatário chamou as alegações de “forçação de barra”.

– Não fizemos cópia de nada, não levamos a secretária eletrônica a lugar nenhum. Meu filho foi lá, botaram na tela 14 de março do ano passado e onde tinha ligação para as duas casas, para a minha e a dele, ele clicou em cima e gravou o áudio. Nada mais além disso. Qualquer outra interpretação é forçação de barra – disse.

Bolsonaro afirmou a jornalistas, também no sábado, que teve acesso aos arquivos antes que eles fossem adulterados.

– Pegamos lá toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de anos. A voz não é a minha, não é do ‘seu Jair’. Agora, o que que eu desconfio? Que o porteiro leu sem assinar ou induziram ele a assinar aquilo. Agora quem está por trás disso? – questionou.

As acusações contra o presidente partiram de políticos de oposição, alguns falaram até em impeachment. Além disso, opositores citaram a intenção de pedir uma nova perícia nos áudios registrados na portaria no dia em que ocorreu o assassinato da vereadora Marielle Franco.Fonte: Pleno News.