Usuários das redes sociais levantaram a tag para pedir o veto presidencial


O projeto da reforma eleitoral aprovado na Câmara dos Deputados na noite desta quarta-feira (8) revoltou a população. O texto afrouxa regras do uso de dinheiro público para campanhas. Os partidos podem, por exemplo, fazer pagamento de multas eleitorais, compra de sedes partidárias e passagens aéreas até para não filiados.

As permissões criaram um movimento de revolta de contribuintes, críticos políticos e até parte da mídia. O portal O Antagonista chegou a criticar ferrenhamente o projeto, o chamando de “pacote asqueroso” e “porcaria”.

No Twitter, usuários levantaram a tag #VetaBolsonaro, que chegou ao primeiro lugar dos assuntos mais comentados logo no início do dia. O presidente da República pode vetar ou sancionar o projeto em até 15 dias úteis.

Para valer nas eleições regionais de 2020, a medida tem que entrar em vigor antes do dia 4 de outubro. Isso também vale para qualquer outro projeto de reforma eleitoral e partidária.

Fonte: Time Brasília.