Um dos casos que mais repercutiu no mundo criminal recentemente foi o assassinato do jogador Daniel Corrêa Freitas, em outubro do ano passado. O atleta, que jogou no São Paulo, foi morto quando estava em uma festa na casa de Edson Brittes.

Ele confessou o crime e argumenta que o atleta estaria na cama de sua esposa, supostamente cometendo algum tipo de abuso. Daniel chegou a fazer fotos na cama, enquanto aparentemente a esposa de Edson dormia.

Acusados no Caso Daniel podem responder em liberdade

Nesta terça-feira, 8 de outubro, o caso ganhou uma novidade; e Edson pode ser solto a qualquer momento. O processo do assassinato está nas alegações finais. O Ministério Público do Paraná (MP-PR), por exemplo, recentemente, mostrou-se a favor da concessão de liberdade provisória a mais três réus – Eduardo da Silva, Ygor King e David Willian da Silva. Outro réu no processo, Edson Brittes, também poderia ser libertado a qualquer momento.

Claudio Dalledone, advogado de Edson, deu uma entrevista à RIC Mais, afiliada da Record TV, onde confirmou a informação. Mesmo sem o pedido da defesa, de acordo com o advogado, tudo indicaria que Edson pode mesmo aguardar a finalização do julgamento em liberdade.

A Justiça, no entanto, oficialmente, continua recebendo as alegações finais da defesa de Edson. O promotor de Justiça, Marco Aurélio Oliveira São Leão, solicitou que cada um dos réus se pronuncie a respeito do crime, na visão da participação de cada um deles. Essa etapa é importante e pode ser crucial no julgamento de Edson.


Fonte: Sorocabanices