Ayara Cardoso, de 17 anos, foi assassinada com um tiro na cabeça quando levava a filha para passear


“Ela era amiga de todo mundo. Uma pessoa alegre, divertida, sorridente. Amiga para todas as horas”, lembram os familiares de Ayara Cardoso, de 17 anos, assassinada na noite desta quarta-feira (11) enquanto passeava com a filha de dois anos em uma praça de Caucaia. 

Corpo da adolescente ficou caído ao lado do carrinho da filha.

Conforme os parentes contam, a facilidade para fazer amigos acabou levando a jovem a se aproximar de pessoas envolvidas com delitos. “Ela não era envolvida com nada, dizia que era só amizade. A gente falava com ela, mas ela não escutava, dizia que era coisa da nossa cabeça. Só que a gente sabe quando uma pessoa não presta”.

A jovem passeava todas as noites com a filha em uma praça próxima à casa onde morava, com a criança e o pai. Os criminosos aproveitaram o momento para assassiná-la com um tiro na cabeça. “Toda a noite ela ía pra pracinha levar a filha para brincar. Foram dois homens que vieram de moto e foi atingida com um tiro só na cabeça. Foi horrível, a mãe dela passou mal. Estamos até agora sem acreditar”, diz uma das parentes.

Ayara será enterrada no distrito de Itapebussu, em Maranguape.

Morte

A jovem Ayara Cardoso foi na frente da filha de dois anos em uma praça no Bairro Picuí, em Caucaia. A polícia suspeita de feminicídio.

A vítima conduzia o carrinho da filha na Rua Pedro Alves de Menezes quando um veículo parou no local e um suspeito atirou contra ela, conforme a Polícia Militar. No momento do crime, a praça estava cheia e várias crianças brincavam no local.

A adolescente ficou caída ao lado do carrinho da filha. A criança não ficou ferida.

De acordo com a polícia, uma das suspeitas é que um ex-namorado não aceitava o fim do relacionamento e teria cometido o crime.

Com as informações do Diário do Nordeste.