O presidente da Câmara de Pentecoste, Pedro Hermano Cardoso (PDT), a primeira-dama do Município, Maria Clemilda Pinho de Sousa, e a ouvidora da Prefeitura, Maria Clara Rodrigues Pinho, foram presos, nesta quarta-feira (17), na Operação Caixa 2, comandada pela Polícia Civil e Ministério Público do Estado do Ceará.

A ouvidora é irmã da primeira-dama e mãe do presidente da Câmara. Os três são  são suspeitos de integrar uma quadrilha que cometeu golpes em idosos para financiar a campanha do prefeito de Pentecoste, João Bosco Pessoa Tabosa (PDT), eleito em 2016.

Pedro teve prisão preventiva. As duas mulheres foram presas domiciliarmente com o uso de tornozeleiras eletrônicas. Os investigados também foram afastados de suas funções públicas por tempo indeterminado. As ordens judiciais foram expedidas pelo juiz da Comarca de Pentecoste, Caio Lima Barroso.

Foto: Reprodução

Entenda o Caso

A investigações mostraram que a quadrilha colocava um casal na porta das agências bancárias para oferecer “ajuda” aos idosos e desviar benefícios dos mesmos para a campanha de João Bosco. O prejuízo às vítimas teria somado R$ 300 mil. A organização criminosa contava com apoio de funcionários dos bancos.

Fonte: CN7