Tenente-brigadeiro Carlos de Almeida Baptista Junior Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

O comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do Ar Carlos Almeida Baptista Junior, afirmou que não enviará 50 notas a Omar Aziz, presidente da CPI da Covid no Senado.

As declarações foram dadas por ele em entrevista ao Jornal O Globo, nesta sexta-feira (9).

– É um alerta. É apenas essa… – disse o militar sobre a nota conjunta assinada pelo ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e os demais chefes das Forças Armadas.

O chefe da FAB esclareceu que a nota de repúdio das Forças Armadas, divulgada nesta semana, “foi voltada pessoalmente” a Aziz, e não à CPI da Covid.

– Ele colocou isso de uma forma que nos parece generalizada. E esta observação dele já se repetiu em algumas outras oportunidades, particularmente em relação ao general Pazuello, ao Elcio [Franco, ex-secretário executivo da Saúde e coronel da reserva] – disse o comandante da Aeronáutica.

– Cada instituição do país tem a obrigação de se preocupar com a democracia e o respeito às instituições. E nós, instituição militar, não abriremos mão disso – complementou.

Nesta quarta-feira (7), em resposta à nota de repúdio, Aziz havia declarado que não aceitará ser intimidado pelas Forças Armadas.

– Podem fazer 50 notas contra mim; só não me intimidem – disse o senador.

Tudo se originou a partir de uma declaração de Aziz acerca das Forcas Armadas atuando no governo, o que fez o clima entre senadores e militares esquentar esta semana.

– Fazia muito tempo que o Brasil não via membros do lado podre das Forças Armadas envolvidos com falcatrua dentro do governo – declarou o presidente da CPI.

“Com as informações do Pleno News