O senador Renan Calheiros (MDB-AL), durante a sessão da CPI da Covid.JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid-19, criticou nesta segunda-feira, 19, as declarações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após ter alta do hospital e ironizou o estado de saúde do mandatário.

“Pela entrevista que deu ao sair do hospital, os médicos só conseguiram curar a obstrução do intestino de Bolsonaro. O resto continua tão ou mais obstruído do que antes. Pena”, escreveu o senador em sua conta do Twitter.

Ao sair do hospital Vila Nova Star no domingo, 18, em São Paulo, Bolsonaro negou as denúncias de que o governo teria pedido propina por vacinas e defendeu o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O presidente também disse que Brasília é “o paraíso dos lobistas e picaretas” e que todos pressionavam por vacinas.

No sábado, Renan Calheiros já havia cutucado o mandatário nas redes sociais. “O paciente Bolsonaro não tentou tratamentos alternativos, não pregou negacionismo. Priorizou a ciência e a medicina. Se o paciente tivesse presidido o Brasil na pandemia, centenas de milhares de vidas teriam sido salvas”, escreveu.

“Com as informações do Jovem Pan