Resultado e desempenho não foram os esperados pelos são-paulinos no Morumbi, no último domingo. O empate em 1 a 1 com o CSA foi conquistado na base do sufoco com uma atuação que ficou devendo em todos os aspectos. Daniel Alves, que pela primeira vez atuou na lateral direita com a camisa do São Paulo, também esteve abaixo do que pode apresentar e acabou ficando incomodado com alguns questionamentos feitos por parte da imprensa.

Dani foi perguntado sobre o seu posicionamento em campo, que nos últimos jogos foi como meia, embora houvesse um clamor pela sua escalação como lateral-direito. Finalmente colocado em sua posição de origem, o jogador não teve um desempenho de acordo com a expectativa criada. Ao responder à questão, ele acabou devolvendo com uma certa crítica aos jornalistas.

– Estamos aqui para construir juntos, posso ajudar os meus companheiros a serem melhores do que são. Eu jogando de lateral passo muito tempo sem togar na bola, e é difícil fazer seus companheiros jogarem melhor. É evidente que a imprensa nunca vai saber disso, porque nunca jogou futebol. Não é uma crítica, quero passar uma mensagem que não temos que nos posicionar do que a imprensa fala. Se não gera uma instabilidade que normalmente a imprensa está para isso. Não estou criticando vocês, estou sendo honesto. Não podemos entrar nesses debates. Eu sou jogador do São Paulo e vou ajudar o São Paulo. Tudo que eu construí na minha vida foi sendo sereno e às vezes cego, surdo e mudo. Vou continuar sendo, porque essa é a forma de obter resultados – declarou o camisa 10 tricolor na zona mista do Morumbi.

Daniel também aproveitou para pedir um padrão de jogo para o time. Para ele, as mudanças acabam minando a evolução da equipe durante a competição e aviso que vai continuar na linha de frente para defender o clube.

– Temos que ter um padrão de jogo e definir esse padrão, ir até o final confiando que esse padrão é o melhor. Se começa a mudar, nunca vamos ter uma sequência. É um fato. Alternamos muito jogadores, precisamos manter um padrão ,que é assim que se constrói as coisas, defendendo os conceitos. Sei o quão difícil é o futebol brasileiro. Nunca pequei por omissão, sempre vou estar na linha de frente. Antes de vir para o futebol brasileiro, fiz uma lavagem cerebral, porque aqui só os fortes sobrevivem – concluiu.

O São Paulo treina nesta segunda-feira, às 15h30, no CT da Barra Funda, de olho na preparação para enfrentar o Botafogo, fora de casa, às 11h do próximo sábado, pela 20ª rodada do Brasileirão-2019.

*Fonte Lance.