O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha deixou o Complexo Médico-Penal de Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba na manhã desta 6ª feira (31.mai.2019) para ser transferido para uma prisão no Rio de Janeiro.

A Justiça Federal do Paraná autorizou o translado de Cunha para que ele cumprisse o restante da pena mais próximo da família. Ainda faltam 14 anos e 6 meses.

Cunha esteve preso Paraná desde 19 de outubro de 2016. Foi condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Operação Lava-Jato. Ele é acusado de ter recebido propina em 1 contrato da Petrobras para exploração petróleo em Benin, na África.

A autorização para transferência foi emitida pelo juiz Ronaldo Sansone Guerra, da 2ª Vara de Execuções Penais de Curitiba (PR). Não foram emitidos detalhes sobre qual é a nova prisão.

MPF ERA CONTRA A TRANSFERÊNCIA

Na última 6ª feira (24.mai.2019), o MP-PR (Ministério Público do Estado do Paraná) se manifestou contra a transferência de Eduardo Cunha para presídio no Rio de Janeiro.

Eis a íntegra da manifestação.

No documento, o promotor Carlos Alberto Hohmann Choinski afirmou que em razão da influência política de Cunha, que teria acarretado na prática dos crimes pelos quais foi condenado, “não seria conveniente sua remoção a comarca do Rio de Janeiro ou de Brasília”.

Fonte: Poder 360