Nise Yamaguchi depôs à CPI da Covid-19 Foto: Agência Senado/Jefferson Rudy

A imunologista e oncologista Nise Yamaguchi processou os senadores Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Pandemia, e Otto Alencar (PSD-BA), integrante do colegiado, por conta da postura dos dois contra ela durante a sessão da CPI no último dia 1° de junho. Na ação, a médica pede R$ 160 mil de danos morais de cada parlamentar.

Nise declara ter sido vítima de misoginia, preconceito às mulheres, e humilhação durante a oitiva. O nome da médica foi incluído, na sexta-feira (18), entre os 14 investigados pela CPI. Na ação, a médica afirma que Aziz e Alencar abusaram do direito da imunidade parlamentar a que têm e “perpetraram um verdadeiro massacre moral”.

– (Nise Yamaguchi) Atônita, viu um ser humano ter destroçada a sua dignidade enquanto médica, cientista e mulher – defendem os advogados.

Os defensores de Nise afirmam que houve clara intenção do senador Otto Alencar em “diminuir e humilhar” a médica com a pergunta elaborada por ele sobre a diferença entre vírus e protozoário. Os advogados destacam também que o presidente da CPI, Omar Aziz, foi “cúmplice” dos ataques.

– Percebe-se do tom de voz e do caráter intimidatório do senador Omar Aziz que esse foi cúmplice da desintegração moral da médica, posto que nada fez para impedir ou minorar a agressiva sanha de seu colega, sendo cúmplice e corresponsável pelos abusos suportados por Nise Yamaguchi – escreveu a defesa.

Caso ganhe a ação, a médica afirma que doará o dinheiro a hospitais que atendem a crianças com câncer. O senador Otto Alencar afirmou que seu advogado, assim que notificado, responderá de acordo com a lei. Já o senador Omar Aziz vai aguardar a notificação judicial para comentar a ação.

“Com as informações do Pleno News