Elenilson Silva decidiu arrecadar dinheiro quando a esposa faleceu, cinco meses após ter alta de um tratamento contra o câncer.

Há três anos, a mulher do comerciante Elenilson José da Silva foi diagnosticada com câncer de mama. Cinco meses depois de receber alta de um tratamento no Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), a companheira dele, Marta Silva, faleceu. A maneira que Elenilson encontrou de seguir a vida foi ajudando a instituição, vendendo cocadas para ajudar a comprar as máquinas de costura usadas para confeccionar perucas para as mulheres em tratamento.

 Veja o vídeo !

“Eu queria que todos aqueles que já passaram por ali falassem mais sobre o hospital, porque é muito carente e é onde você vê muita gente sofrer”, conta o comerciante.

Ao descobrir que o hospital precisava de pelo menos duas máquinas de costura profissionais para confeccionar perucas, Elenilson decidiu vender cocadas para ajudar a levantar a autoestima das pacientes. “Quando eu era criança eu fazia cocada e tapioca. Hoje eu dedico a minha vida a fazer o bem”, conta.

Elenilson Silva decidiu fazer cocadas para comprar máquinas de costura para a confecção de perucas no HCP, no Recife — Foto: Reprodução/TV Globo

Depois de estipular a meta de R$ 3 mil, Elenilson arrecadou metade do dinheiro após um mês e meio de trabalho. Com ajuda de amigos e familiares, ele seguiu vendendo os doces em um posto de gasolina no Ibura, na Zona Sul do Recife.

“Ele merece ser ajudado. Ele é fora de série, não tenho nem palavras para dizer. Ele é um guerreiro de Deus”, diz a irmã do comerciante, Vânia Maria da Silva, uma das voluntárias durante a venda das cocadas.

Antes de saberem da história, os clientes elogiam o sabor do doce. Depois de conhecerem a causa, a cocada parece ficar ainda mais saborosa. “Foi sensacional, por saber que a gente está ajudando. Show de bola, ganhei meu dia”, afirma o técnico em comunicação Marco Vinícius.

Filho de Elenilson e Marta, Leandro da Silva também ajuda a vender as cocadas e afirma sentir orgulho do gesto solidário do pai. “Eu acho uma coisa excepcional da parte dele. Sério mesmo. Eu chego a até querer me emocionar, às vezes”, diz.

Entrega

Nesta quarta-feira (26), com a caminhonete enfeitada de balões, Elenilson chegou ao HCP com rosas, um bolo e as duas máquinas de costura industriais, compradas com o dinheiro da venda das cocadas. Recebido com abraços e aplausos, o comerciante não conseguiu segurar a emoção.

“Vocês que têm um pouco, tirem um pouco de vocês para ajudar. Sempre que vocês fazem isso, Deus vai dar em dobro”, afirma.

Fonte: G1

@Manchetenet

  • Handerson Alexandre