Era a Festa dos Tabernáculos dos judeus e Jesus estava em Jerusalém para participar da festa e Ele pregava a todos abertamente, embora os fariseus buscassem mata-lo.

Já no último dia da festa, Jesus se pôs de pé e clamou: “Se alguém tem sede, venha a mim, e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão do seu ventre. “ (João 7:37,38).
Evidentemente, Jesus não estava falando da sede física, mas do Amado Espírito Santo, que viria sobre todo aquele que Nele cresse, mas o fato é que ninguém entendeu sobre o que falava Jesus, aliás, se eu e você entendemos hoje o discurso de Jesus, é obra do Espírito Santo que habitando em nós nos instrui nas Escrituras.
É fato que ninguém entendeu o alcance das palavras de Jesus, mas todo mundo achou bonito. Esse é o problema. Não importa se você acha bacana o Evangelho, nem tão pouco se você admira Jesus, porque se no seu coração você não crer que Ele é Deus, é o Filho de Deus e Deus O ressuscitou dos mortos e Ele vive para sempre, nada feito! E não vale nem como “curriculum” para efeito de salvação.
Vamos em frente. Muitos judeus ao ouvirem as palavras de Jesus, começaram a discutir entre si, uns diziam que Jesus era mesmo um profeta, outros diziam que Jesus era o Cristo, mas logo vieram outros que diziam: “Vem, pois, o Cristo da Galiléia? Não diz a Escritura que o Cristo vem da descendência de Davi, e de Belém, da aldeia de onde era Davi? “ (João 7:41,42).
Falta de informação, esse era o mal dos judeus. Naquele tempo não era como hoje, que basta “jogar” no Google e você consegue todas as informações disponíveis sobre alguém, a informação era rudimentar e bem pouco acessível, então os judeus questionavam Jesus ser da Galileia e O acusavam de não ser da descendência de Davi.
Acontece que Jesus não era da Galileia e nem de Nazaré, como O acusavam os fariseus, que até chamavam Seus seguidores de “nazarenos”. Jesus nasceu na cidade de Davi, Belém, e era, sim, da família de Davi, mas os judeus e, em especial, os fariseus não procuraram saber quem era, de fato, Jesus, queriam apenas condenar o Homem que representava uma ameaça às suas migalhas de poder.
Não existem intermediários entre Deus e os homens, somente Jesus é o Grande Mediador entre Deus e todos nós. Por mais mérito que João Batista teve e tem, ele não pode intermediar o pedido a Deus de “seu ninguém” e sabe por que? Veja o que disse o próprio Jesus: “E eu vos digo que, entre os nascidos de mulheres, não há maior profeta do que João o Batista; mas o menor no reino de Deus é maior do que ele. “ (Lucas 7:28).
João Batista foi só um exemplo, mas a verdade é que nenhum dos santos que já partiram têm o poder de intermediar nenhum pedido dos viventes a Deus, nem mesmo Maria, que foi a mulher mais virtuosa que já viveu e por isso mesmo, foi a escolhida para ser a mãe de Jesus. Muitos acreditam que Maria é a mãe de Deus, mas isso não é verdade. Jesus é Deus, mas Ele nasceu homem, logo Maria era a mãe do menino Jesus e não do Deus Salvador, simplesmente, porque Jesus não havia ainda concluído a Obra de Salvação.
Não se engane e nem se deixe enganar: não existem intermediários no Reino dos Céus e somente Jesus pode mediar os pedidos dos homens a Deus, veja o que está escrito: “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. “ (1 Timóteo 2:5). Ponto final!
*Com as informações do sombradoonipotente