Ex-secretário especial de Comunicação Social da presidência, Fabio Wajngarten fala na CPI Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado

O ex-secretário especial de Comunicação da Presidência da República, Fábio Wajngarten, depõe à CPI da Covid nesta quarta-feira (12).

Ele é a quinta testemunha a comparecer a Comissão que investiga a condução do governo federal na pandemia de covid-19.

Um dos assuntos de hoje será a demora do governo na compra de vacinas da Pfizer. Em entrevista à revista Veja, o ex-secretário disse que a delonga na compra dos imunizantes ocorreu por “incompetência e “ineficiência” do então Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello.

Acompanhe:

Ao ser questionado pelo relator Renan Calheiros (MDB-AL) sobre a autonomia na Secretaria de Comunicação, Wajngarten respondeu que nunca sofreu interferência do presidente Bolsonaro na pasta. De acordo com ele, de fevereiro de 2020 até os dias de hoje, a Secretaria publicou 11 campanhas publicitárias sobre a covid-19. “Se tivesse ocorrido qualquer interferência, eu pegaria a minha mala e voltaria para a minha empresa e para a minha família”, defendeu.

“Com as informações do Congresso em Foco