Desarmando armadilhas

Em todas as horas do nosso dia estamos em meio a uma imensa guerra. Guerra interna. Entre o bem e o mal. Entre seguir a Deus ou a Satanás. Uma guerra que depende exclusivamente de nossas decisões para decidir o desfecho. E satanás é astuto.

Apesar de já ter sido vencido pelo nosso Deus, sua inteligência é grande, porém, com os ensinamentos de Deus e buscando Sua proteção o tempo todo, conseguiremos detectar as armadilhas do inimigo e escaparmos delas. Mas somente pedindo o auxílio de Deus, pois sozinhos somos presas fáceis e com toda a certeza cairemos em seus truques.

Existe uma história, na Bíblia, que apresenta muitas dessas armadilhas que Satanás frequentemente coloca no nosso caminho. Ela se encontra em 1 Reis 21:1-29.

A história é de um rei, chamado Acabe. Como todos os reis, Acabe morava em seu palácio, cercado de luxos e vaidades.

É importante observar que nessa altura Acabe ja estava vulnerável aos ataques de Satanás, justamente por suas riquezas. A Bíblia muito fala que É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha, do que entrar um rico no Reino dos Céus. Marcos 10:25. Obviamente, Jesus não estava querendo dizer que nenhum rico entrará no Céu, mas a riqueza por si só é muito perigosa, pois alimenta nosso orgulho e nossa vaidade e nos faz esquecer que não temos sozinhos poder e autoridade para coisa alguma, somente se estivermos em comunhão com Deus. Além disso, a riqueza também pode produzir a ganância e o egoísmo, nos afastando e muito da vontade de Deus para nós.

E então, Acabe foi vítima das frequentes consequências da riqueza. A ganância e o egoísmo começaram a dominar o seu coração. E então, eis que reparou em uma plantações de uvas que se localizava perto de seu Palácio. Essa plantação era de um homem chamado Nabote. Satanás, percebendo que Acabe já estava propenso a se render aos desejos da carne, o fez cobiçar a plantação, colocando em seu coração o desejo de transformá-la em uma horta. E aí está a segunda armadilha, o segundo passo para o pecado. O inimigo usa nossos desejos, nossa vontade de nos “satisfazer” materialmente, de nos fazer acreditar que sempre precisamos de mais, para nos fazer cair. A cobiça. E desde então a comunhão com Deus é muito importante. A partir do momento que percebemos estar querendo seguir os nossos desejos mundanos, estar querendo cobiçar e desejar possuir alguma coisa, devemos orar e pedir para que Deus tire esse sentimento de nós para que Satanás não consiga concluir seu plano para pecarmos.

Infelizmente, Acabe não se lembrou de Deus. Caiu direitinho no propósito do inimigo espiritual. Diz a Bíblia que o rei foi procurar o dono da plantação para comprá-la. Porém, Nabote, recusou vendê-la, por se tratar de uma herança, o que fez com que o rei se aborrecesse terrivelmente, entrou em uma espécie de depressão. Eu ousaria chamar de orgulho ferido. E isso abriu as portas para que mais um sentimento de Satanás entrasse em seu coração: a raiva.

Neste momento, Acabe ainda teria a chance de procurar a Deus. Procurar seu consolo e descobrir quais eram os verdadeiros planos de Deus para Ele, que com certeza seriam mais que uma plantação de uvas, que o rei nem tinha necessidade, vide o fato de morar em um palácio. É interessante notar que Deus também age em todas as horas do nosso dia, e talvez Acabe já estivesse por buscar a Deus e desistir da plantação. Porém.. chega Satanás novamente para impedir que sua vítima escape de seus planos.

A esposa de Acabe, ao perceber sua tristeza e decepção, diz:

– Afinal de contas, você é o rei ou não é? Levante-se, anime-se e coma! Eu darei a você a plantação de uvas de Nabote, o homem de Jezreel! (1 Reis 21:7)

Analise o trecho destacado. Satanás gosta de usar pessoas a seu favor. E isso é muito sério. Muitas vezes nós podemos estar sendo instrumentos de Satanás para fazer com que o nosso próximo caia em pecado. E essa é mais uma das armadilhas de Satanás.  Procuro agradar a todos em tudo o que faço, não pensando no meu próprio bem, mas no bem de todos, a fim de que eles possam ser salvos. 1 Coríntios 10:33

Pois bem, Satanás usou a esposa do rei, Jezabel, para aumentar seu orgulho. A frase “você é o rei ou não é?” funcionou direitinho para que todo a vaidade e orgulho ressurgisse com força total no coração de Acabe. E, você pode acompanhar na Bíblia, Jezabel armou todo um plano para assassinar Nabote, e o plano foi bem sucedido. Ao tomar conhecimento disto, Acabe não se mostrou chocado e muito menos arrependido. Tamanho era o orgulho e a raiva, que logo que Nabote morreu, Acabe foi até a plantação e se apossou dela. E nesse instante, o rei já havia se rendido a Satanás. O pecado foi feito, a transgressão dos mandamentos de Deus foi feita.

Depois disso, apareceu Elias, que foi mandado por Deus para falar com Acabe, para avisá-lo das consequências dos seus atos. É possível que Acabe tenha imaginado que pelo crime ter sido cometido pela sua esposa, e não por ele, ele seria inocentado de qualquer acusação. Isso acontece conosco. Se fazemos o nosso próximo pecar, nós estamos pecando. Somos responsáveis também pelos atos dos outros. Deus espera que através de nossos testemunhos, de nossas atitudes, possamos atrair mais e mais pessoas à Ele, e não o contrário. Nossa função é pregar o seu Evangelho, amar o nosso próximo, seguir os exemplos de Jesus em sua existência aqui na Terra.

Ao final da história, Acabe se arrependeu. Ao ser avisado por Elias dos castigos de Deus, o rei se voltou para Deus. E nessa parte podemos ver o grande Deus perdoador! Deus decidiu poupar Acabe, apesar de todas as maldades e sua falta de fé e comunhão. Mas como Deus justo, fez com que os castigos caíssem somente nas próximas gerações, para sempre lembrá-los que longe da proteção e da sabedoria de Deus, a desgraça é certa. Porém, se buscarmos suas proteção e o entendimento que vem Dele, a vitória e a paz é garantida.

Que história. História maravilhosa para aprendermos a importância da comunhão com Deus, e como precisamos buscá-Lo para vencermos as tentações e identificarmos os planos de Satanás, todos os dias. Sozinhos, somos vencidos pelo mundo. Com Deus, podemos nos juntar a Jesus como vencedores!

*Com as informações do contra correnteza