Flamengo já vem ligando o sinal de alerta após não receber uma parcela da Adidas estipulada no contrato.

O gerente de futebol do clube, Bruno Spindel, disse que a situação do Mengão é boa, mas o clube irá precisar renegociar os contratos até definição sobre o retorno dos campeonatos. Até por isso, a parcela das compras do atacante Thiago e do zagueiro Léo Pereira ainda não foram pagas.

Contratações também só serão realizadas se aparecer alguma oportunidade de mercado e que não seja um grande investimento. É o caso do lateral-direito Daniel Muñoz, que estava na mira do clube carioca desde o começo do ano e o jogador foi um pedido de Jorge Jesus. Na ocasião, os dirigentes Rubro-Negros iniciaram as conversas com o Atlético Nacional e os colombianos deram preferência ao Fla no negócio.

O defensor é visto como uma grande revelação do futebol local e que tem tudo para se destacar na carreira. O Palmeiras também já demonstrou interesse em tê-lo, mas encontra dificuldade nas tratativas. O mesmo caso vale para o Flamengo, que acabou desistindo da negociação após não aceitar pagar 7 milhões de dólares (R$ 36,6 milhões na cotação atual). Inicialmente, o Mengão ficou disposto a negociar com as cifras estipuladas.

Isso não quer dizer que o Fla não vai procurar um jogador para a posição, mas a prioridade é trazer um lateral menos caro e que tenha rodagem na carreira. A ideia é ter um atleta “seguro” para ser o reserva imediato de Rafinha. O medalhão não vai conseguir jogar todas as partidas e Jesus deseja ter um substituto que tenha capacidade de jogar em alto nível na equipe flamenguista.

O mercado Sul-Americano continua sendo observado. Marcos Braz e Bruno Spindel desejam conseguir empréstimo de algum jogador promissor e estipule no contrato para comprá-lo caso a contratação seja um sucesso. A procura será intensificada nas próximas semanas.