Equipes do Ministério da Saúde estão em Manaus (AM) remanejando pacientes COVID para cidades brasileiras que têm suporte em saúde para recebê-los.

Ao todo, 30 pacientes chegarão em Teresina, às 13h, no Aeroporto Senador Petrônio Portella, em avião da Força Aérea Brasileira.

Na madrugada desta quinta-feira (14), o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, entrou em contado com o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, informando que enviaria os pacientes COVID para Teresina.

“Já organizamos a logística de recebimentos dos pacientes. Ambulâncias avançadas, equipe de triagem, oxigênio, máscaras, cadeiras de rodas, apoio de transporte. O Hospital Universitário irá receber os pacientes”, informou Gilberto Albuquerque.

São 11 ambulâncias disponibilizadas para o transporte dos pacientes, sendo duas avançadas e nove básicas. “Os pacientes são clínicos. Faremos a triagem deles ainda dentro do avião para analisarmos o quadro de saúde antes de realizarmos o transporte”, diz Gilberto.

Crise em Manaus 

Nos últimos dias, Manaus vivencia uma situação delicada e enfrenta dificuldades no combate à pandemia da Covid-19. A capital amazonense bateu recorde de novas hospitalizações: foram 2.221 só nos 12 primeiros dias de janeiro. O número é maior do que o total de internações registradas em todo o mês de abril, primeiro pico da pandemia no Amazonas, quando 2.218 pessoas foram hospitalizadas.
No início desta semana, Manaus registrou taxa de ocupação dos leitos de UTI de 90% na rede pública e 93% da rede privada.
Também houve recorde de sepultamentos em Manaus nos primeiros dias do ano, com média diária de 111 enterros, bem acima das médias registradas nos meses de abril (93 por dia) e maio (76 por dia) do 2020.
* Com as informações do FMS/Cidade Verde