Foto Reprodução

A seleção feminina brasileira perdeu o Canadá por 4 a 3 e foi eliminada nas quartas de final das Olimpíadas de Tóquio. O Brasil foi pior na etapa final, fez um jogo dramático na prorrogação e levou a decisão foi para as penalidades.

Marta, Debinha e Érika iniciaram as cobranças com gols, mas Andressa Alves e Rafaelle bateram à meia-altura e pararam na goleira Lappé. Bárbara pegou a batida de Sinclair, mas não evitou a eliminação. Fleming, Lawrence, Leon e Gilles colocaram as canadenses na semifinal.

O próximo adversário do Canadá será Holanda ou Estados Unidos. A semifinal está marcada para a próxima segunda-feira (2), às 8h (horário de Brasília), no estádio de Yokohama.

A luta pelo ouro inédito cai por terra mais uma vez, desta vez sob o comando da técnica sueca Pia Sudhage. Vale lembrar que essa pode ter sido as últimas Olimpíadas do Brasil com a participação de Marta e Formiga, líderes do atual elenco.

Vale lembrar que as meninas do Brasil conquistaram duas medalhas de prata – a primeira foi nos Jogos de Atenas (2004) e Pequim (2008). Em Londres (2012), o Brasil foi eliminado pela Suécia nas quartas de final. Já nas Olimpíadas do Rio de Janeiro (2016), a seleção feminina perdeu para o próprio Canadá na disputa pela medalha de bronze.

SELEÇÃO JOGA MAL, DEBINHA PERDE CHANCES E CANADENSES ACERTAM O TRAVESSÃO

O Brasil foi quem assustou primeiro. Tamires tabelou com Marta e bateu firme por cima do gol. No entanto, o Canadá passou a controlar as ações e ficou perto de abrir o marcador. Lawrence cruzou e a bola ficou limpa para Sinclair, mas a capitã do Canadá deixou a bola passar e desperdiçou a jogada. Depois Fleming arriscou para fora e Beckie, de frente para o gol, mandou à direita da meta defendida por Bárbara.

No lance mais polêmico, a árbitra Stephanie Frappar marcou pênalti de Chapman em Duda. No entanto, o VAR entrou em ação e a juíza reverteu.

A seleção brasileira ainda perdeu a melhor chance. A zagueira Gilles deu mole e perdeu a bola para Debinha. Apesar de estar na cara do gol, a atacante bateu em cima da goleira.

Na etapa final, o Canadá carimbou o travessão brasileiro com cabeçada de Gilles após falta na esquerda. O Brasil respondeu com chute de fora da área da Debinha, defendido por Labbé.

No fim, a goleira canadense bateu roupa após falta cobrada por Marta e contou com a defesa para afastar o perigo. Pelo Canadá, Rose foi lançada na área e a zagueira Érika fez o corte providencial para afastar.

Na prorrogação, o jogo foi aberto. O Canadá controlou as ações na primeira parte, mas o Brasil perdeu duas grandes chances no fim. Debinha bateu para fora e foi bloqueada pela defesa, além de uma defesaça de Lappé na cabeçada de Érika.

BRASIL 0 (3) x 0 (4) CANADÁ

Quartas de final das Olimpíadas de Tóquio

Data, hora e local: sexta-feira (21), às 5h (horário de Brasília), no estádio Miyagi, no Japão.

Gol: 

Cartões amarelos: Duda e Ludmila (BRA); Lawrence, Fleming e Riviere (CAN).

Brasil: Bárbara; Bruna Benites, Érika, Rafaelle e Tamires; Formiga (Angelina), Andressinha, Duda (Andressa Alves) e Marta; Bia Zaneratto (Ludmila) e Debinha. Técnico: Pia Sundhage.

Canadá: Labbé; Lawrence, Gilles, Bichanan e Chapman (Riviere); Scott, Fleming, Sinclair e Quinn (Grosso); Beckie (Leon) e Prince (Rose – Huitema). Técnico: Bev Priestman.