Deputada Gleisi Hoffman (PT-PR)

A deputada Gleisi Hoffman (PT-PR) já gastou R$ 19,5 mil de sua cota parlamentar para contratar a empresa LeadWhats desde abril.

A companhia presta serviços de disparo automatizados de mensagens pelo WhatsApp. As nove contas do PT suspensas pelo aplicativo no fim do mês passado por disparos em massa eram operadas pela empresa.

De acordo com dados do site da Câmara dos Deputados, Gleisi, que é presidente do PT, contrata a empresa desde abril do ano passado. Até abril deste ano, o serviço custava R$ 1,2 mil. Depois passou a custar R$ 1,7 mil.

O gasto está registrado no site da Câmara como “divulgação da atividade parlamentar”. A nota fiscal é para contratação de “serviço de divulgação de mensagens de prestação de contas do mandato parlamentar”.

Veja:

” alt=”” aria-hidden=”true” />

A LeadWhats é uma empresa de Curitiba já conhecida pelo WhatsApp – o serviço de disparos automatizados de mensagens  em massa é considerado irregular pelo aplicativo.

Segundo O Antagonista apurou, o WhatsApp já enviou diversas notificações extrajudiciais à empresa, sempre por disparos em massa de mensagens. Normalmente são disparos comerciais, e não políticos, disse uma fonte que pediu para não ser identificada.

Procurado, o WhatsApp disse que não comenta casos concretos e não pode dar detalhe sobre o caso. Mas esclareceu que seus serviços não foram feitos para enviar mensagens em massa e automatizadas e tem por política interna banir contas usadas para esse fim.

O critério para o banimento é algorítmico: se as plataformas do aplicativo detectam milhares de mensagens sendo disparadas ao mesmo tempo por poucos números, percebe que não se trata de atividade humana.

O Antagonista entrou em contato com a assessoria da deputada Gleisi, mas não houve resposta até a publicação desta reportagem.

*Com as informações do Antagonista