Os governadores da Bahia, Rui Costa (PT); de São Paulo, João Doria (PSDB); e do Ceará, Rui Costa (PT), reagiram ao fechamento de fábricas da Ford

O anúncio do fechamento de todas as fábricas da Ford no Brasil obrigou os governadores da Bahia, de São Paulo e do Ceará a traçarem estratégias para minimizar as consequências econômicas da decisão.

Os chefes do Executivo nos Estados impactados pelo encerramento das atividades da montadora temem o desemprego e a provável queda de arrecadação com a saída da empresa.

Leia também:Ford irá fechar suas três fábricas no Brasil

Serão encerradas, até o final de 2021, as operações nos parques fabris de Camaçari (BA), de Taubaté (SP) e de Horizonte (CE).

De acordo com reportagem publicada no jornal Folha de S.Paulo nesta 3ª feira (12.jan.2021), Camilo Santana (PT), que governa o Ceará, ainda tenta reverter a situação.

O governador cearense não se manifestou publicamente desde o anúncio feito pela Ford. Segundo o jornal, ele deve insistir para que a empresa não feche a unidade que fabrica a Troller no interior do Estado.

O também petista Rui Costa, governador da Bahia, não pretende convencer a montadora a permanecer no Estado. Em vídeo publicado nas redes sociais, ele lamentou a decisão e culpou o governo federal pela decisão da Ford.

“Isso significa desemprego e aumento da pobreza. Isso nos deixa indignado e tristes pela falta de gestão, pela falta de competência, pela falta de trabalho no nosso país. Infelizmente, enquanto alguns, dia, após dia, vão fazendo politicagem, o nosso Brasil vai perdendo várias e várias empresas. Semana após semana, são indústrias fechando”, afirmou.

“Não tem planejamento macroeconômico, não se faz reforma tributária, não se cria um ambiente de segurança institucional para que os investidores possam acreditar no Brasil. A consequência disso, infelizmente, é o povo sofrendo”, disse o governador baiano.

Rui Costa ainda anunciou que fez contato com embaixadas para convidar empresas estrangeiras a visitarem o parque fabril de Camaçari.

“Entrei em contato com as embaixadas de outros países para efetuar o convite para que outras empresas possam visitar o nosso parque industrial e que, o mais rápido possível, tenhamos o interesse de outros fabricantes para retomarmos a produção de carros na Bahia”, declarou.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também se manifestou nas redes sociais. “Lamento decisão da Ford de encerrar sua produção de automóveis no Brasil. A medida afeta o fechamento de fábricas no Ceará, Bahia e SP. Foi decisão global da Ford Motors”, disse.

Doria, por outro lado, celebrou a manutenção das atividades da empresa no campo de provas de Tatuí, no interior do Estado, e a confirmação de que a sede latino-americana continuará na capital.

“No Estado de SP, serão mantidos 700 trabalhadores em atividades no município de Tatuí e na Capital”, escreveu o governador.

* Com as informações do Poder 360