O crime aconteceu no bairro Lourival Parente

O homem identificado como Willame José da Silva, 39 anos, acusado de assassinar a própria mãe, Maria das Graças Pereira da Silva, na noite dessa segunda-feira (28) no Lourival Parente, em Teresina, já havia sido preso por crime de estupro de vulnerável cometido contra sua ex-enteada, em outubro do ano de 2005. A vítima precisou passar por cirurgia após o crime.

O GP1 teve acesso a documentos que descrevem que, na época do fato, a ex-companheira de Willame havia acabado de retornar do trabalho e quando chegou em casa, notou o comportamento diferente da filha de 8 anos, que encontrava-se sentada e calada, enquanto o sangue escorria entre suas pernas. Ao indagar Willame José sobre o que havia acontecido, ele respondeu que a criança havia caído da bicicleta.

Insatisfeita, a mãe resolveu levar a filha ao hospital, onde foram constatados indícios de violência sexual, fato confirmado pela vítima logo em seguida. Na ocasião, o acusado foi questionado pelos policiais ainda no hospital e ele acabou confessando a prática do crime.

Em razão da violência provocada, a criança precisou ser submetida a um procedimento cirúrgico, devido à hemorragia.

Willame José da Silva foi preso e permaneceu na Penitenciária Irmão Guido, por cerca de 1 ano, e logo depois desceu para a Casa de Custódia, onde ficou dois meses e, por fim, foi transferido para a Colônia Agrícola Major César, em regime semiaberto.

Incidente de insanidade mental

Passados 14 anos desde a data do crime, a Defensoria Pública do Estado do Piauí pediu a instauração de insanidade mental, sustentando que durante realização da audiência de instrução e julgamento, notou-se comportamento indicativo de que o réu não possuía plena integridade mental, fazendo-se necessário submetê-lo a exame médico-legal.

No entanto, restou comprovado, diante da junta médica pericial da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí, com data de 12 de maio deste ano, que na época dos fatos descritos Willame José de Sousa “entedia perfeitamente o caráter dos seus atos e determinando-se de acordo com esse entendimento, inclusive o analisado, confirma os fatos da denúncia, portanto, imputável”, diz trecho da conclusão psiquiátrico-forense.

Ainda segundo o documento ao qual o GP1 teve acesso, embora fazendo uso de medicação psicotrópica (diazepan5mg/noite e clorpromazina 50mg/noite) o acusado não possui doença mental e, atualmente, está apto ao exercício das atividades civis.

Atualmente, a ação penal pelo crime de estupro de vulnerável encontra-se suspensa, aguardando a sentença do processo de incidente de insanidade mental, que teve sua última movimentação nessa sexta-feira, 25 de junho de 2021.

Assassinato da mãe

Na noite da última segunda-feira (28), Willame José da Silva, 39 anos, foi preso sob acusação de ter assassinado a própria mãe, Maria das Graças Pereira da Silva, de 71 anos, com várias pedradas na cabeça da idosa, dentro de casa, no bairro Lourival Parente, zona sul de Teresina.

Logo após o crime, ele empreendeu fuga para um supermercado que fica na região onde ocorreu o fato e foi capturado por populares, que ainda tentaram linchá-lo, mas foram impedidos pela Polícia Militar do Piauí. Willame José foi preso em flagrante.

Prisão preventiva

Nas primeiras horas desta terça (29) a Defensoria Pública protocolou pedido de liberdade provisória do acusado, o que foi negado pelo juiz Markus Calado Schultz, da Central de Inquéritos de Teresina, que converteu em preventiva a prisão de Willame José.

“Após passar em revista pelo apontamento criminal instaurado em desfavor do autuado Willame José da Silva, bem como pelas declarações de sua irmã C. M. J. S, é possível concluir que a liberdade do autuado expõe a risco a ordem pública, diante do risco concreto de reiteração delitiva”, declarou o magistrado.

“Com as informações GP1