Objetos apreendidos com R.E.S - Foto: Divulgação/PM-PI

Dois homens, identificados apenas pelas iniciais R.E.S, vulgo ‘Romin da 020’, de 26 anos e J..J.C, de 20 anos, foram presos acusados de invadir uma residência e matar o ex-conselheiro tutelar e empresário Francisco Wanderley Bezerra, de 33 anos, na madrugada de domingo (28/02), no povoado BR-020, localizado na zona rural do município de Monsenhor Hipólito, região Sul do Piauí.

O acusado de iniciais R.E.S foi preso durante uma ação da Polícia Militar, após ser encontrado bebendo em um bar, na tarde de terça-feira (02), no bairro Junco, em Picos.

Em depoimento à polícia, o acusado confessou a autoria do crime que vitimou o empresário e apontou onde estava a arma supostamente utilizada no latrocínio, no local foi encontrado um revólver calibre 38, dez munições intactas além de três aparelhos celulares.

Horas após a prisão de R.E.S, a Polícia Militar prendeu o outro suspeito, identificado como J.J.C, no bairro Acampamento, na zona rural da cidade de Fronteira. Durante a abordagem, o suspeito também confessou ter participado do latrocínio contra Francisco Wanderley e do homicídio do vigilante noturno, Cição, além de vários outros crimes na região, entre eles o roubo de dois celulares e uma motocicleta numa vicinal que liga os municípios de Francisco Santos a Santo Antônio de Lisboa.

Com J.J.C foram encontrados um revólver de marca Taurus, calibre 32, quatro munições intactas, uma moto Fan 125, com placa NIP-6019 e cor preta, além de, uma moto Fan 125, placa: NVS-5386.

Após as prisões, os dois foram conduzidos para a Central de Flagrantes de Picos, onde foram autuados pelos crimes.

Segundo informações do major Felipe, comandante do 4º BPM, R.E.S. é suspeito de praticar cinco mortes, entre homicídios e latrocínios, em 60 dias.

“Há mais de dois meses nossa inteligência estava realizando incursões na região a fim de identificar um dos suspeitos, que já possuía um mandado de prisão em aberto por crime de roubo. À medida que os nossos policiais militares diligenciavam acumulavam-se evidências de práticas de outros crimes muito mais gravosos. Chegou-se ao ponto de R.E.S. estar sendo suspeito de praticar, desde o começo do ano, ou seja, em pouco sessenta dias, cinco mortes, entre homicídios e latrocínios, levando terror a cidadãos comuns e ao pequeno empresariado daquela região e cidades circunvizinhas.” declarou o militar.

*Com as informações do Meio Norte