Um incêndio atingiu um apartamento no 5º andar do edifício Pallazzo Poti, no bairro Ilhotas, na tarde desta sexta-feira (4). As paredes da sacada ficaram completamente queimadas e o fogo ameaçou subir para os andares superiores. O prédio está interditado.

Ainda assustada, a administradora Denise Mendes conta que foi acordada pela irmã que também é moradora do prédio.  “Ela me ligou de Parnaíba gritando pra eu sair do prédio que tinha um apartamento pegando fogo. Ela mora no prédio, mas está viajando. Eu só peguei a cachorra e a chave do carro e desci. A fumaça já estava forte no segundo andar. Quase não conseguia enxergar. Foi eu descendo e os bombeiros subindo”, contou ela nervosa com a cachorra Blue no colo. Denise mora com a filha que estava no trabalho.


Dezenas de moradores acompanharam o trabalho do Corpo de Bombeiros. Apreensivos com a situação, eles ligavam para comunicar familiares e vizinhos que não estavam no local.

Veja o Vídeo:

Muitos idosos, crianças e animais de estimação estavam no prédio no momento do acidente.

Alguns moradores levaram seus familiares idosos para atendimento por conta própria. Uma senhora teve dificuldades de sair do apartamento e ficou nervosa por conta da fumaça.

Pedaços da estrutura do prédio se desprenderam da parede e caem no térreo lateral do condomínio.  O local está interditado pelo Corpo de Bombeiros.

O síndico do condomínio, Eyder Mendes, confirmou que o fogo começou em um apartamento do quinto andar. “Foi em um apartamento do quinto andar, não havia ninguém em casa. Ninguém ficou ferido. Apenas pessoas inalaram muita fumaça e ficaram assustadas com a situação.  Moro aqui há 8 anos, sou síndico já três.  Isso nunca tinha acontecido”, conta.

Com o uniforme molhado, o porteiro Ribamar Dias subiu até o último andar para avisar os moradores.  “Subi até o décimo. Muitos moradores não sabiam. Saí chamando o pessoal, batendo na porta. Muita gente desesperada. Felizmente ninguém ficou ferido”, disse.

De acordo com o porteiro, o incêndio ocorreu no apartamento 504, que estava sem moradores no momento. Uma idosa de 70 anos moradora do 7º andar contou os momentos de desespero.

“Quando vi fumaça, corri para a casa da minha irmã. Ela tinha saído então chamei a empregada, trancamos as janelas e fomos para o meu apartamento. Tinha muita fumaça, não dava pra enxergar nada. Um vizinho passou com uma lanterna e aí descemos juntas com ele”, contou a senhora que agora vai para um sítio da família. 

Um pedreiro trabalhava em uma reforma no primeiro andar quando ouviu a movimentação. “Só escutei os gritos e a correria, quando sai vi as pessoas gritando no corredor. Foi desesperador”, disse o trabalhador que estava há dois meses na obra.

Com falta de ar, alguns moradores que inalaram muita fumaça foram atendidos por uma ambulância do Samu e receberam inalação.

Muitos aguardam a liberação do Corpo de Bombeiros para resgatar pertences que ficaram nos apartamentos.

Fonte: Cidade Verde