O presidente do Centro das Indústrias do Estado do Piauí (CIEPI), Andrade Júnior, informou que o ramo industrial propôs ao prefeito Firmino Filho, formalmente, a volta gradual das atividades com a redução de funcionários e de horas de expediente.

A maioria das atividades industriais foi suspensa com a chegada da pandemia de Covid-19 a Teresina.

O presidente do Ciep afirma que a suspensão das atividades já resulta em demissões e diz que o debate sobre a retomada é feito de maneira “polarizada”.

“Não se trata de discutirmos o que é mais relevante: se é a vida ou se é a economia. Defendemos um ponto de equilíbrio. A discussão está totalmente polarizada. Depois de 32 dias corridos de paralisação total da indústria, exceto a de alimentos, os danos são enormes e ainda não mensuráveis culminando no que mais tentamos evitar que são as demissões”, contou

Segundo Andrade Júnior, é possível retomar as atividades de maneira segura. “Para contornar, propomos ao prefeito Firmino Filho os seguintes cuidados para a preservação da saúde dos trabalhadores: redução da mão de obra para 50% do contingente atual, redução do expediente para um turno único seis horas, garantia mínima de da distância de dois metros entre os trabalhadores no chão de fábrica”, assegurou.

O presidente da Ciepi também citou outras ações para garantir a contenção da propagação da doença nas indústrias:

  • determinar que o uso de todos os EPIs sejam obrigatórios
  • aplicação de treinamentos semanais sobre como evitar a transmissão entre as pessoas no chão de fábrica
  • dar o total acesso aos órgãos fiscalizadores

“Nós da indústria piauiense somos responsáveis por R$ 4,9 bilhões do PIB piauiense. Isso representa 12,1% do produto interno bruto do nosso estado. Empregamos diretamente 52 mil trabalhadores”, assinala Andrade Júnior.

No último decreto municipal, a prefeitura de Teresina manteve a liberação de funcionamento apenas para as indústrias de serviços essenciais, como as alimentícias.

Fonte/cidadeverde