Sistemas de integração implantados em Curitiba, no Paraná e em Recife, no Pernambuco, foram modelos para o Inthegra, em Teresina

Terminais de integração, paradas de transbordo, corredores exclusivos, trânsito organizado, conforto, rapidez e mais economia para o usuário, esse é o objetivo do Inthegra, o sistema de integração do transporte público de Teresina, inaugurado há um ano na capital piauiense.

Crédito: Efrém Ribeiro

Todo esse modelo de transporte em massa foi inspirado no pioneirismo de outras capitais brasileiras, a exemplo de Curitiba, no Estado do Paraná. Por lá, a implantação do sistema de transporte para a população, começou no início dos anos 70 e entrou em funcionamento de forma definitiva no ano de 1974. Hoje, 45% da população da cidade faz o uso do serviço. O sistema está integrado com 13 municípios da região metropolitana.

Outro exemplo de sistema de transporte voltado para a população é o da cidade de Recife, no Estado do Pernambuco. Lá é chamado de sistema estrutural integrado, composto também por metrô.

Todas as linhas são integradas por meio de terminais, o que possibilita uma multiplicidade de ligações. Ao todo são dez empresas operadoras, responsáveis por 185 linhas que atendem a 15 municípios da região metropolitana do Recife.

O assessor técnico da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (STRANS), Ricardo Freitas, diz que durante a montagem do plano diretor de mobilidade urbana, para Teresina, esses e outros modelos de transporte coletivo em massa serviram de inspiração.

Crédito: José Alves Filho

“O projeto foi elaborado por uma empresa com larga experiência na área e os modelos de transporte coletivo de outras capitais serviram de base, no caso de Curitiba, Minas Gerais e Goiânia. É claro que são um pouco diferentes da nossa realidade, por serem de eixões, mas analisamos também outras capitais mais próximas que nos deram um norte, modelos onde as linhas convergem para a área central”, comentou Ricardo Freitas.

Crédito: Efrém Ribeiro

Revisão no Inthegra pretende trazer melhorias

Teresina ainda tem o desafio de implantar, de forma definitiva, o Sistema Inthegra, que avança com o funcionamento de mais corredores exclusivos. O desafio daqui para frente é estar sempre antenado com as novidades no setor de transporte coletivo, ressalta Ricardo Freitas.

“Nós já estamos licitando uma revisão no nosso projeto. Quem for fazer o trabalho terá a tarefa de mapear novidades para implantar em Teresina. Com o levantamento de dados, será um sistema mais moderno”, completou Ricardo Freitas, assessor técnico da Strans.

com informações do Grupo meio norte