Fonte SBT

A deputada federal Joice Hasselmann, que alega ter sido vítima de um atentado com motivação política, diz ter certeza de que foi “apagada” pelo autor das agressões que sofreu, na madrugada de sábado (17) para domingo (18), em seu apartamento funcional em Brasília.

Ela justifica que não houve luta e que o agressor precisou dopá-la porque ela é “lutadora profissional” e teria reagido ao ataque.

– Se fosse uma luta eu lembraria e se fosse uma luta teria que ser no mínimo uns três pra conseguir me derrubar. Eu sou lutadora profissional, luto krav magá, muay thai e boxe. Não foi algo que alguém me enfrentou. Se a hipótese de alguém entrar aqui for confirmada, então alguém primeiro me desacordou, bateu na minha cabeça, porque não há qualquer vestígio de luta – afirmou a parlamentar em entrevista ao SBT.

Ela sustenta ainda de que ação foi premeditada e motivada por questões políticas, uma vez que o agressor não levou objetos de valor que poderiam ter sido facilmente levados, como joias e dinheiro.

– Uma coisa que chama a atenção em tudo isso é que nada foi roubado. Eu estava com a minha bolsa, ela fica em uma cadeira no meu quarto, fica minha carteira com algum dinheiro, não muito, mas tinha, além de cartões. Todo mundo sabe que eu gosto muito de joia, então estavam ali os brincos que eu tinha usado naquele dia, o relógio, o anel que eu tinha usado. Então, se alguém entrou aqui, não foi pra roubar. Não sumiu uma agulha da minha casa, tudo está exatamente como estava – disse Joice.

Na última sexta-feira (23), Joice prestou depoimento ao Ministério Público e citou dois possíveis nomes que podem estar ligados ao ataque. Em entrevista a Leo Dias, ela detalhou que um dos suspeitos tem fácil acesso ao bloco do prédio onde ela mora e sugeriu que recentemente houve algum tipo de intercorrência entre ela e a pessoa. Já a segunda suspeita, segundo Joice, recai sobre aqueles que fazem ameaças públicas a ela.

“Com as informações do Pleno News