O jornalista Egidio Brito foi transferido na tarde desta quarta-feira (2) para o Hospital São Marcos. Uma ambulância da Unimed chegou ao hospital por volta das 17h após a familia autorizar sua transferência. O último boletim médico revelou que o quadro de saúde do jornalista é estável, com pressão arterial normal e que os órgãos respondem aos estímulos.

Segundo a família, Egídio deixou o hospital da Unimed sem diagnóstico definitivo, apenas com suspeita de meningite viral. Ontem, o hospital informou que seu estado de saúde era gravíssimo e que o jornalista estava em coma não induzido e respirando por meio de ventilação mecânica.

 

 

O pai do jornalista, Francisco Brito, disse ao Cidadeverde.com que Egídio saiu da Unimed com quadro de “ansiedade” e sem diagnóstico definitivo. Ainda segundo ele, a indefinição deixou a família preocupada.

“Vamos buscar todas as alternativas. Tudo que tiver ao nosso alcance nós vamos fazer”, afirmou.

Abalado, Francisco Brito estava acompanhado de familiares enquanto o jornalista dava entrada na UTI do São Marcos. Ele entrou na unidade de saúde pelo setor de urgência e emergência.

Egídio deu entrada no hospital da Unimed na manhã de sexta-feira (27) vomitando e sentindo fortes dores no corpo. A principio foi especulado que ele estaria com quadro de meningite bacteriana, o que teria causado a morte cerebral do jornalista, que possui 32 anos. Ontem, a família descartou as duas hipóteses.

A equipe médica que acompanhou a transferência do jornalista informou que ocorreu sem qualquer alteração.

Egídio passará por avaliação neurológica

Vinícius Braullio, primo do jornalista, informou que está aguardando o resultado de novos exames para ter um diagnóstico. Um dos exames está sendo feito fora do estado e possivelmente o laudo saia nesta quinta-feira (3).

Segundo ele, o hospital da Unimed deu um diagnóstico de suspeita de meningite viral.

“De sábado até agora não houve evolução. Ele está sem sedação, coração batendo e estamos esperando a evolução do quadro clínico e o resultado dos exames”, afirmou.

Vinicius disse que a transferência também foi motivada pelo fato de uma prima de Egídio trabalhar no São Marcos.

“No outro hospital só tinha um horário de visita. Aqui vamos ter dois horários e por conta disso a família achou melhor transferir pra cá”, declarou.

Situação delicada

Vinicius relatou ainda que Egídio Brito deu entrada no hospital com fortes dores de cabeça, vomitando e um incômodo na região do pescoço.

“Ele vai continuar com a medicação, tomando os antibióticos, vai passar por uma avaliação neurológica, tanto no que veio do outro hospital com a realização de novo exames e vamos esperar a evolução do quadro clínico a partir da transferência”.

Fonte:Cidade verde