Juarez Tapety morre aos 87 anos em hospital de Teresina

O ex-deputado estadual, ex-prefeito de Oeiras, ex-secretário estadual de Segurança Pública e de Governo, Juarez Piauhyense Tapety, de 87 anos, no Hospital da Unimed, em Teresina, às 13h de sábado, em consequência de crise renal.

ilho de José Nogueira Tapety e Maria Salomé de Freitas Tapety é bacharel em Direito com graduação iniciada na Faculdade de Direito do Recife e concluída na Faculdade Federal de Direito do Piauí (hoje Universidade Federal do Piauí) e logo sua condição de advogado foi reunida à de político.

Membro do antigo PSD foi eleito por esta legenda vereador de Oeiras em 1958 e depois prefeito do município em 1962. Com a ascensão dos militares ao poder e extintos os partidos políticos via Ato Institucional Número Dois editado em 27 de outubro de 1965 e a subseqüente instituição do bipartidarismo fez opção pela ARENA, o novo partido situacionista cuja maior liderança no Piauí era o então governador Petrônio Portela.


Eleito para o seu primeiro mandato de deputado estadual em 1966 retornou à prefeitura de Oeiras em 1970 para cumprir um mandato de dois anos. Findo o seu novo interregno no Executivo conquistou novos mandatos de deputado estadual em 1974 e 1978 ingressando no PDS após a reforma partidária decretada pelo presidente João Figueiredo renovando seu mandato em 1982. Secretário de Segurança Pública no primeiro governo Hugo Napoleão seguiu a este quando da criação do PFL e em sua nova casa partidária foi reeleito em 1986. Vencido por Kléber Eulálio na disputa pela presidência da Assembléia Legislativa para o biênio 1989/1991 cerrou fileiras a seguir na base parlamentar do governador Alberto Silva, a quem inicialmente fazia oposição e em razão disso ingressou no PL sendo eleito primeiro suplente de deputado estadual da coligação “Movimento de Integração do Piauí” em 1990.


Reconciliado com seus antigos companheiros do PFL passou a apoiar o governo Freitas Neto e em virtude da morte de Francílio Almeida foi efetivado deputado estadual. Ciente de que precisava recompor seu capital político foi candidato a prefeito de Oeiras em 1992 sem que tenha sido vitorioso e colheu nova derrota quando tentou renovar seu mandato de deputado estadual em 1994, porém no segundo turno das eleições para governador àquele ano ignorou o apoio de seu partido a Átila Lira e aderiu à campanha vitoriosa de Mão Santa, a quem serviu como Secretário de Segurança Pública no primeiro governo e Secretário de Governo em sua segunda gestão. O ingresso de seu grupo político no PMDB o devolveu ao centro das discussões políticas no estado do Piauí e reafirmou sua condição de influente líder político.


Rivalidade

Ao longo da década de 1980 a liderança da família Tapety em Oeiras foi contrabalançada pela união de dois grupos políticos sob a égide do PMDB: um liderado pelo médico Benedito Sá e outro pelo advogado Luciano Nunes os quais atravessaram a década como vitoriosos nas disputas eleitorais travadas contra os seus adversários, fato que se repetiu em 1990 quando, em face do apoio dado pelo clã Tapety a Wall Ferraz candidato do governador Alberto Silva à sua sucessão, seus rivais integraram uma dissidência partidária que ingressou no PDS e apoiou o nome de Freitas Neto, que quatro anos antes era apoiado justamente pelo clã Tapety, ao passo que Benedito Sá (B. Sá) e Luciano Nunes apoiaram Alberto Silva para governador em 1982 e 1986.


Em 1982 Juarez Tapety viu seu irmão José Nogueira Tapety Júnior ser eleito deputado federal pelo PDS, entretanto foi só a partir dos anos noventa que seus filhos surgiram na cena política piauiense e todos com raízes fincadas em Oeiras: Tapety Neto chegou à prefeitura em 1996 sendo reeleito no ano 2000 e Mauro Tapety foi eleito deputado estadual e 1998, 2002 e 2006. Foi a partir da ação conjunta deste dueto que o referido clã retomou o comando político da cidade.

FONTE: MEIONORTE.COM