O Ceará recebeu 229 mil doses para vacinar trabalhadores da saúde; indígenas; idosos e pessoas com deficiência que moram em abrigos — Foto: Letícia Queiroz/G1

Ministério Público do Ceará (MPCE) informou nesta quarta-feira (20) que apura se os gestores das cidades de Eusébio, Juazeiro do Norte e Quixadá, no Ceará, foram vacinados mesmo sem fazer parte grupos prioritários previstos no Plano Nacional de Imunização (PNI).

O órgão deu prazo de cinco dias para receber do município de Quixadá a lista contendo a qualificação das pessoas que foram vacinadas e o motivo pelo qual se enquadram nos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde e pela Secretaria Estadual de Saúde para esta fase. De acordo com o Centro de Apoio Operacional da Cidadania (Caocidadania), do MP, a vacinação da secretária de saúde de Quixadá, Benedita de Oliveira, é um dos casos que estão na mira do órgão.

A Prefeitura de Quixadá explicou, por meio de nota, que a secretária municipal é credenciada no grupo prioritário porque tem 66 anos, é enfermeira e coordena diariamente as equipes de trabalho que atuam no combate à pandemia na linha de frente, estando constantemente nas unidades de saúde do município, principalmente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), local que concentra em Quixadá os atendimentos de Covid-19.

* Com as informações do G1 Ceará