Divulgação/IstoE

O prédio onde mora o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma quarta-feira, 20 de maio, agitada. Um delegado foi baleado e um corpo de uma modelo foi retirado do local sem vida.

A morta é Priscila Delgado de Barros, de 27 anos. Ela teria cometido suicídio, após uma briga com o namorado, o delegado da Polícia Civil, Paulo Bilynskyj, de 33 anos.

Ele foi encontrado baleado no mesmo apartamento. O imóvel fica em um prédio da cidade de São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo. O local já era conhecido por ali morar o ex-presidente da República, que saiu da cadeia nos últimos meses, ganhando o benefício da chamada prisão domiciliar. Lula foi condenado na Operação Lava Jato.

O delegado baleado é defensor de Bolsonaro nas redes sociais. No entanto, o motivo para os tiros dentro do apartamento dele não seria política, mas ciúmes. A polícia não descarta hipóteses sobre o que teria acontecido dentro do imóvel. Há uma suspeita de que o delegado possa ter cometido feminicídio.

Na versão dele, a mulher teria pego o seu celular, visto algo, atirado contra ele e depois tirado a própria vida. A modelo, no entanto, foi achada sem vida no banheiro do local.

O estado de saúde do delegado é grave. Líderes políticos bolsonaristas chegaram a pedir doações de sangue pela redes sociais. O delegado Paulo está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um famoso hospital. O crime continua sendo investigado pelas autoridades.

CVV

Contra pensamentos tristes e suicidas, no Brasil, o Centro de Valorização da Vida (CVV), oferece atendimento gratuito.

Fonte:1News