Motoristas iniciam greve e só 30% dos ônibus vão circular nesta segunda (4)

Começa às 0h desta segunda-feira (4) a greve dos trabalhadores do transporte rodoviário coletivo de Teresina. O movimento paredista é deflagrado para pressionar os empresários a concederem reajuste salarial em 8.5% à categoria.

No mês de janeiro os trabalhadores realizaram paralisações de advertência e chegaram a fazer reunião com representantes da categoria, do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) e da prefeitura de Teresina, mas não houve um consenso.  

Em reunião realizada no dia 22 de janeiro a direção do Setut acusou a Prefeitura de Teresina de não repassar recursos de subsídio e afirmou que isso compromete o reajuste no salário dos motoristas e cobradores de ônibus. No entanto, o executivo municipal, em entrevista à TV Cidade Verde, negou ter dívidas com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos.

Enquanto o impasse não é resolvido, a greve inicia nesta segunda e não tem data para encerrar. “Estamos sendo empurrados para essa greve pela falta de vontade de negociar dos empregadores, ou seja, do Setut, que vem colocando sempre a prefeitura no meio dessa negociação, coisa que nunca houve nessa cidade”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí, Fernando Feijão. 

O presidente do Sintetro adianta que somente 30% da frota dos ônibus vai circular durante a greve. “É greve por tempo indeterminado até que se chegue a um acordo entre patrões e empregados porque diante de toda tratativa de negociar não houve acordo. Os patrões sempre colocando a prefeitura a frente da negociação e a prefeitura participando, mas sem dar seu aval. Ficamos a mercê de uma resposta. Resposta essa que veio em forma de valores e percentuais  que não contemplam nossa categoria . Greve é ruim, mas é preciso que se lute para obter aquilo que se quer”, diz Fernando Feijão.

A Strans realizou o cadastro de ônibus e vans para atender os usuários do transporte público durante a greve dos trabalhadores.  “É importante lembrar que os estudantes devem apresentar a carteira de estudante para pagar a meia passagem em dinheiro”, lembra o diretor de Transportes Públicos da superintendência, Francisco Nogueira.

Os transportes cobrarão a mesma tarifa dos ônibus coletivos. 

Fonte: cidade verde.