Estudo emitiu alerta


Um estudo realizado por cientistas da Agência Internacional de Pesquisa sobre Câncer, com sede na França, revelou um alerta envolvendo uma perigosa relação entre obesidade e câncer. Integrantes do Serviço Nacional de Saúde (NHS, da sigla em inglês), do Reino Unido, também contribuíram com a pesquisa.

No levantamento, foram observadas análises genéticas de tipos de câncer mais associados à obesidade, como tumor no intestino, de mama, rim, endométrio, pâncreas, ovário e esôfago.

Ao avaliar marcadores genéticos ao risco de câncer, além do Índice de Massa Corporal (IMC), testes revelaram que o fator obesidade dobrou o risco de alguns tipos de câncer e quadruplicou as chances de outros.

Estudo anteriores levaram em conta apenas o IMC. Mas a equipe dessa nova pesquisa considera que os marcadores genéticos são mais apurados.

No caso do câncer de pâncreas, por exemplo, o aumento do fator risco obesidade mudou de 10% para 47%. No câncer de intestino, subiu de 5% para 44%. Em países desenvolvidos, essas taxas representam a segunda maior causa de câncer, perdendo somente para o tabagismo.

Já no Brasil, o Instituto Nacional de Câncer (Inca), defende que o excesso de peso corporal está ligado ao risco de desenvolver 13 tipos de câncer, entre eles o de ovário, endométrio, tireoide, fígado, intestino, rins, entre outros.

Com as Informações do Pleno News