Paulo Lima, o "Galo", foi preso em São Paulo nesta quarta-feira (28)

Paulo Lima, o “Galo“, foi preso em São Paulo nesta quarta-feira (28). O entregador e membro da Revolução Periférica é acusado de atear fogo na estátua de Borba Gato, bandeirante responsável pela morte de inúmeros indígenas brasileiros.

Ele e sua esposa, que também foi detida, se apresentaram no 11º Distrito Policial de Santo Amaro no início desta tarde. E o incêndio contra a estátua de Borba Gato, ocorrido no último sábado, dia 24. Em nota à imprensa, o perfil oficial de Galo no Twitter afirmou que a mulher não estava no ato.

 

“Gessica sequer estava presente no ato político do dia 24/07 e tem uma filha de 3 anos de idade com Paulo, também detido nesta data. A equipe jurídica do escritório Jacob e Lozano acompanha o andamento do processo e pode dar um novo depoimento em breve”, confirma.

“Para aqueles que dizem que a gente precisa ir por meios democráticos, o objetivo do ato foi abrir o debate. Agora, as pessoas decidem se elas querem uma estátua de três metros de altura de um genocida e abusador de mulheres“, comentou o ativista sobre a manifestação.

“Com as informações da Cultura