PF indica repasse de R$ 1,4 milhão da Odebrecht a Rodrigo e César Maia

Registros da Odebrecht indicam o pagamento de R$ 1,4 milhão para nomes associados ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e ao pai dele, o ex-prefeito e atual vereador do Rio de Janeiro César Maia (DEM). A investigação foi conduzida pela PF (Polícia Federal). As informações foram publicadas pelo portal G1 na 5ª feira (11.abr.2019).

As transferências foram feitas para pessoas com os codinomes “Botafogo”, “Inca”e “Déspota”. Delatores da Odebrecht afirmaram que os termos são atribuídos a Rodrigo e César Maia.

O caso veio a tona com 1 pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ao STF (Supremo Tribunal Federal) para prorrogação do inquérito que envolve o presidente da Câmara por 60 dias. A ideia é ter mais tempo para estuda as informações entregues. O caso está sob análise do relator do caso no STF, ministro Edson Fachin.

Segundo Dodge, a perícia mostrou ordens de pagamento superiores a R$ 2 milhões para pai e filho. No entanto, só foi efetivado o valor de R$ 1,4 milhão. A relação dos 2 nomes foi identificada em 3 planilhas diferentes da Odebrecht. A PF pediu acesso aos dados telefônicos dos envolvidos para seguir com a investigação.

OUTRO LADO

A assessoria de Maia informou que ele não vai se manifestar no momento.

Por Poder 360.