Itaguaí(RJ) - Submarino apresentado durante cerimônia de Inínio de Integração dos Submarinos Classe Riachuelo, no Complexo Navel de Itaguaí, região metropolitana do Rio(Tomaz Silva/Agência Brasil)

Engenheiro da Marinha teria cobrado propina de aproximadamente R$ 3,6 milhões à empresa austríaca

A Polícia Federal em São Paulo investiga a cobrança de propina em contratos de construção de um submarino da Marinha brasileira. Nesta quinta (7), foram cumpridos três mandados de busca e apreensão.

Os alvos foram um um engenheiro nuclear do Centro Tecnológico da Marinha do Brasil (CTMSP) e um engenheiro particular, suspeitos de estarem envolvidos no esquema.

As investigações do Ministério Público de SP apontam que o engenheiro da Marinha cobrou propina no valor de R$ 6 milhões à uma empresa austríaca, que fabrica componentes para tecnologia de reatores nucleares. A empresa assinou 15 contratos com a Marinha para o fornecimento de materiais de pequisa, importação de bens, tecnologia e prestação de serviços.

Ainda de acordo com o MP, o engenheiro teria recebido ao todo R$ 3,6 milhões em propina, dinheiro depositado em uma conta bancária na Suíça. Os valores foram repassados a uma empresa do servidor da Marinha.

O engenheiro particular também teria recebido dinheiro pelos contratos, apontam as investigações. O pagamento da propina foi mascarado por meio de contrataos de prestação de serviço de consultoria.

Fonte:DP.