Uol

O pico da pandemia causada pelo novo coronavírus deverá ocorrer esta semana o Brasil, de acordo com um modelo matemático que foi desenvolvido por pesquisadores da Coppe/UFRJ, juntamente com a Marinha do Brasil e a Universidade de Bordeaux, na França.

Esse modelo mostra que o número de novos registros deve começar a apresentar maior estabilidade somente no fim do próximo mês, quando então o Brasil terá alcançado cerca de 370 mil casos registrados.

O problema é que muitos casos nem são reportados, por isso acredita-se que na verdade deverão ser 1 milhão de infectados por todo o Brasil e com tantos contaminados, cresce a chance de outras pessoas serem contaminadas pela Covid-19.

Essa projeção foi feita para o Estadão levando em conta o isolamento social atual, além das medidas de higiene que estão sendo adotadas e a capacidade de testagem de nosso país.

Mas os cientistas estão preocupados com o fato de que as medidas de distanciamento estão começando a ser relaxadas e com isso mais pessoas estão sendo expostas ao novo coronavírus. Se o número de testes realizados aumentar, o número de casos da infecção será ainda maior do que se espera.

Depois do pico, o número de casos acumulados continua crescendo, ele não para de crescer, mas o País vai reportando cada vez menos casos, e a curva começa a mostrar uma tendência de queda“, foi o que declarou o pesquisador da Coppe/UFRJ, Renato Cotta.

Como se proteger

O distanciamento social é a melhor forma até o momento de evitar o contágio pelo novo coronavírus, mas quem precisar sair de casa deve sempre se lembrar de usar a máscara. Quem passa o dia todo fora de casa precisa trocar a máscara a cada 4 horas.

Outra dica importante é evitar aglomerações, manter distância das pessoas e principalmente, não levar as mãos ao rosto em hipótese alguma. Lave as mãos com água ou sabão sempre que for possível, e use álcool em gel.

Fonte:1 News