Foto reprodução/BPA

Três caçadores com animais já abatidos, foram presos em flagrante pela  Polícia Ambiental, durante patrulhamento ostensivo no município de Brejo do Piauí, próximo ao Parque Nacional Serra da Capivara, nesta quarta-feira (02/04).

 De acordo com as informações, os agentes avistaram rastro de motocicletas em direção ao Parque, que após andar em torno de 8km, um dos caçadores que retornava da caça foi abordado e preso por se encontrar com três tatus abatidos e dez espingardinhas de tatus. A equipe continuou no local até sair mais 02 caçadores, que  também foram presos por estarem com 03 tatus e 28 espingardinhas de tatus.

Teresina prevenida

Durante a operação foram apreendidos, ainda, 02 tatus na geladeira de mais 01 outro caçador da cidade de  Brejo do Piauí. Todos foram autuados em flagrante na Delegacia de Canto do Buriti. Conforme o A Artigo 29 da Lei nº 9.605, Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou em desacordo com a obtida, pode acarretar na pena de detenção de seis meses a um ano, e multa.

Alguns veículos de comunicação divulgaram que a caça no Parque estava sem controle e sem fiscalização, provocou essa onde de caçadores voltando, mas a Policia Ambiental está sistematicamente em fiscalização na área. As apreensões foram feitas no entorno do Parque.

Total animais e Materiais Apreendidos:

08 TATUS

38 ESPINGARDAS TATUS

02 MOTOS

01 ESPINGARDA BATE BUCHA

Fiscalização fortalece proteção no entorno do parque

A estratégia de Fiscalização adotada pelo Parque Nacional da Serra da Capivara visou fortalecer a Companhia de Polícia Ambiental do 11° BPM – CPA/11°BPM nas rondas preventivas no entorno do Parque. O fortalecimento se deu através da possibilidade de utilização da camionete do ICMBio, em casos específicos e complementares, e o abastecimento regular de combustível durante todo o ano de 2020 através de operações de rotina aprovadas no Planejamento Anual de Fiscalização – PLANAF aprovado para 2020. O que a gestão pretende com este planejamento não é apenas ou prioritariamente capturar carne de caça e caçadores, mas impedir preventivamente que a caça ocorra no interior e imediações do Parque Nacional da Serra da Capivara. Adicionalmente a este apoio já consolidado, a equipe do Parque tem elaborado e disponibilizado mapas georreferenciados que auxiliam na identificação de alvos prioritários, com informações georreferenciadas de diversas fontes (ICMBio, FUMDHAM, SEMAR, IBGE e Google).

Foram mapeados pelo ICMBio os principais pontos de pressão na UC, alvos onde se concentram os Autos de Infração do ICMBio e IBAMA historicamente lavrados na região da Capivara, em sua grande maioria relacionados à ocorrência de caça de animais silvestres dentro e nas imediações do PNSC. Associado ao levantamento de dados de autos de infração, foram consideradas denúncias de atividades ilícitas e de caçadores na região que possuem canal direto de comunicação com a geestão do Parque.

A coordenação das Operações de Fiscalização é feita a partir do escritório pela equipe do ICMBio e em campo é coordenada pelo Comandante da Companhia de Polícia Ambiental de São Raimundo Nonato (CPA/11°BPM).

Para viabilizar o pernoite de policiais nos municípios do entorno do Parque são concedidas 14 diárias do ICMBio por bimestre.

METAS ATINGIDAS

– Coibição da ação de caçadores, traficantes de animais silvestres e outros ilícitos no PNSC;

– Aprimoramento das ações da CPA/11° BPM através do conhecimento do Parque;

– Incorporação da CPA/11° BPM nas atividades de fiscalização continuada no PNSC;

– Experiência e informações para planejamento de ações de fiscalização futuras.

– Sensibilização Ambiental nas comunidades do entorno.

CONCLUSÃO

A percepção de campo por parte do comando da CPA/11°BPM, a partir de conversas com vigias e guariteiras e observação de rastros de moto e pegadas, é de que os caçadores diminuíram sua frequência dentro e nas imediações do Parque devido às rondas iniciadas a partir do final do ano de 2019 e que se intensificaram, com o aporte de combustível e diárias do ICMBio, a partir do final de janeiro de 2020.

O número de apreensões (77) desde o início da parceria entre e ICMBio e CPA/11°BPM na proteção do Parque e região da Capivara indicam uma alta efetividade da operação de rotina planejada para continuar até dezembro de 2020, quando poderá ser renovada mediante aprovação da Gerência do ICMBio.

Fonte:Redação Manchete Net/com as informações Meio Norte/ Portal SRN.