Polícia Militar prepara transferência e bloqueio do salário do ex-capitão Alisson Wattson

A Polícia Militar do Piauí já prepara o pedido para retirar da folha de pagamento o salário do ex-capitão Alisson Wattson. 

Um ano e cinco meses e o ex-militar continua recebendo o salário de R$ 9 mil. Alisson Wattson é acusado de matar a estudante de direito Camilla Abreu, na época sua namorada, e de ocultar o corpo da vítima.

Na última sexta-feira (8), Dia da Mulher, a governadora em exercício, Regina Sousa assinou o decreto de expulsão do ex-capitão Alisson Wattson.

O Polícia Militar prepara também a transferência do ex-capitão para um presídio comum.

Ele irá ficar em uma ala no presídio de Campo Maior. A Secretaria de Justiça (Sejus) só aguarda a publicação no Diário Oficial para realizar a transferência.

“A Polícia Militar aguarda a publicação no Diário Oficial para encaminhar ofício para o juiz de execuções penais e marcar a data da transferência”, disse a coronel Elza Rodrigues, relações pública da PM/PI.

Ela informou ainda que outro oficial será encaminhado a Secretaria de Administração para retirar da folha o nome do ex-militar.

Reginaldo Correia Moreira, diretor adjunto da Duap (Diretoria da Unidade de Administração Penitenciária), confirmou que assim que a Sejus for comunicada da decisão dará comprimento ao decreto.

O decreto foi assinado na última sexta por volta das 19h e não houve tempo para publicar no Diário Oficial. A decisão deverá ser publicada hoje por volta das 17h.

O ex-capitão vai ficar na mesma cela do policial acusado de matar o cabo Samuel Freitas. A ala é preparada para receber ex-policiais militares e civis, acusados de crimes violentos.

Fonte: cidade verde