Na segunda-feira (29), delegada concluiu investigação e decidiu não indiciar Neymar por estupro e agressão


A edição de domingo (04), do programa Fantástico, da Rede Globo, exibiu informações do relatório final do inquérito que acusava Neymar, atacante do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira, de ter estuprado e agredido Najila Trindade Mendes de Souza. A delegada Juliana Lopes Bussacos, titular da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher em São Paulo, optou por não indiciar o jogador. 

Segundo o relatório de 17 páginas apresentado, a delegada viu “incongruências” na versão oferecida por Najila. “Não vislumbro elementos para o indiciamento do investigado, uma vez que as versões são conflitantes”, afirma o texto, citando também a falta de provas.

Najila chegou a Paris no dia 15 de março, com despesas pagas por Neymar, para se encontrar com o jogador no mesmo dia em um hotel. De acordo com o depoimento, Najila chegou ao local por volta das 20h, aparentemente alterado; o atacante disse que não estava embriagado, mas que havia tomado uma dose de gim antes de encontrá-la.

Ainda conforme o depoimento de Najila, Neymar começou a desferir tapas em suas nádegas durante o encontro de ambos. Quando os tapas começaram a ficar mais fortes, ela teria pedido para ele parar.

O atacante ainda teria puxado Najila com força pelo braço e agarrado seus cabelos. Neymar, por sua vez, negou ter sido violento com Najila, afirmando não ter puxado o braço ou os cabelos da alegada vítima.

Sobre uma foto que ele tirou dela, Najila disse que foi tirada sem sua autorização. Neymar afirmou em depoimento que viu as marcas no corpo da modelo e pediu para tirar a foto; ela teria feito pose e os dois teriam rido após o registro.

Vídeo visto por ex-marido

Os dois teriam conversado após aquele encontro, combinando mais uma visita dele ao hotel. Em depoimento, Najila disse que pediu para Neymar voltar para “bater nele”, porque estava “com muita raiva”. Com medo do que poderia acontecer após o primeiro encontro, decidiu fazer um vídeo.

O jogador depôs afirmando não saber que havia sido gravado naquele momento e afirmou que Najila estava “fora de controle”. A modelo disse que se sentiu usada, e ele tentou argumentar. Para a defesa do jogador, a conversa amena entre os dois no intervalo dos dois encontros atestaria que não houve um estupro.

O vídeo de seis minutos, segundo Najila, ficou registrado apenas em um tablet que foi levado de seu apartamento em São Paulo. O ex-marido da modelo, Estivens Alves, teria sido a única pessoa a ver as imagens na íntegra.

Conforme o relatório, ele diz que Neymar parecia surpreso e assustado, tentando inclusive acalmar Najila. “Me desculpa, eu estraguei tudo, me perdoa. Eu te machuquei?”, diz Neymar, segundo Estivens.

Exames: autolesões?

Najila passou por exames de corpo de delito para detectar lesões. Uma análise feita pela médica Íris Adriani Ribeiro Caserta 16 dias após o encontro não apontou lesões em Najila. O Instituto Médico Legla (IML) não descartou uma autolesão no corpo de Najila e declarou ser impossível relacionar as marcas com as alegadas lesões.As informações são do UOL/Meio Norte.