Ronaldo Quattrucci, de 56 anos, era piloto de helicóptero e morreu com o jornalista Ricardo Boechat, nesta segunda-feira (11/02). Ele era o dono da empresa RQ Serviços Aéreos Especializados Ltda, proprietária da aeronave. As informações são do G1. A Associação Brasileira de Pilotos de Helicóptero (Abraphe) emitiu uma nota sobre a conduta de Ronaldo durante o voo. Segundo o órgão, ele seguiu à risca as doutrinas de segurança até o último momento.– Importante destacar, ainda, a experiência de quase duas décadas do comandante, as licenças regulares, bem como as características e potencial da aeronave que comandava – informou a nota da Abraphe.Já a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) se manifestou revelando que o helicóptero estava com o Certificado de Aeronavegabilidade válido. Entretanto, a RQ Serviços Aéreos não tinha autorização para fazer táxi aéreo. A frota da empresa ainda tem mais duas aeronaves, um Robinson R44 e um R22.TRISTEZA NA FAMÍLIASegundo o jornal Extra, o filho de Ronaldo, o nutricionista Rodrigo Quattrucci, de 24 anos, contou que a família está muito abalada. Este foi o segundo acidente aéreo que eles lamentam. Em 1998, o irmão do piloto, Rogério Quattrucci, também morreu da mesma forma.– Ele assumiu o trabalho do meu tio. Acabou assumindo tudo. Estava prestes a completar 21 anos nessa profissão. Voava sempre, tinha bastante experiência. Isso tudo pegou a nossa família toda de surpresa – disse o jovem. Com seu falecimento, Ronaldo deixou dois filhos.Com informações 180 Graus