Foto reprodução

O Conselho Regional de Medicina do Piauí, emitiu nota de repúdio contra publicação ofensiva feita pela vice-governadora do Piauí, Regina Sousa (PT).

Regina retweetou do professor Glauco Silva publicação em que o professor critica o CRM do Pará, que emitiu nota contrária à contratação de 86 médicos cubanos para atuar na região metropolitana do estado, sem ter registro no Conselho Regional de Medicina. “Médicos Brasileiros preferem que as pessoas morram do que ter concorrência de médicos de Cuba. Mesmo que essa concorrência seja só pra provar que muitos médicos brasileiros são tão incompetentes quanto o Ministro da Saúde Nelson do 3° Reich”, disse.

A líder política do Partido dos Trabalhadores, concordou com a publicação e completou chamando a classe médica de “Racistas e Xenofóbicos.

QUARTA-FEIRA, 29 de ABRIL de 2020 / By Ascom Simepi

O Sindicato dos Médicos do Estado do Piauí – SIMEPI, expressa publicamente seu mais veemente REPÚDIO às declarações da Vice Governadora, Sra. Regina Sousa, em seu perfil da rede social Twitter, no dia 28 de abril de 2020, em que taxou os médicos brasileiros de “racistas e xenófobos”, no contexto em que nos encontramos, de pandemia, durante o qual os médicos tem, heroicamente,  arriscado a própria vida em hospitais do Estado, sem estrutura e sem fornecimento adequado de EPIs para cuidar da população.
Consideramos essa declaração não apenas DESRESPEITOSA, mas também PRECONCEITUOSA, pois faz um juízo de valor inadequado e baseado em falsas premissas. É do conhecimento de todos, que nossos médicos brasileiros atendem à toda população sem qualquer discriminação de raça, gênero, credo ou posição social, prestando um serviço que é muito mais reconhecido pelo empenho e dedicação desses profissionais, do que pela estrutura fornecida pelo Estado, especialmente quando falamos de Piauí. A Sra. Vice Governadora revela, dessa forma, sua alienação em relação à real contingência do que enfrentam os médicos brasileiros, nos sucateados hospitais do Estado,  saqueados cronicamente pela endêmica corrupção que assola nosso país.
A despeito dessa triste realidade, pesam, também, sobre essas palavras, o momento de pandemia e total insegurança vivenciado por esses profissionais que tem sacrificado suas vidas pessoais,  muitas vezes, ficando afastados de suas famílias e exilados em quartos de hotéis, para resguardá-los do risco de contato com este vírus que parou o mundo. A Vice Governadora demonstra insensibilidade e ingratidão com aqueles que mereciam exatamente o contrário, palavras de apoio e reconhecimento, o que é lastimável. Ela transforma a dor e sofrimento em palanque politiqueiro, o que só mostra a sua pequenez.
Diante de tal insensatez, o mínimo esperado da Vice Governadora é uma imediata retratação e um empenho em garantir o fornecimento, pelo Estado, dos equipamentos de segurança para nossos profissionais, que estão na linha de frente da pandemia, além de também garantir que os recursos que estão sendo enviados pelo Governo Federal sejam efetivamente aplicados nos hospitais públicos, de tal forma que possam servir à nossa população tão carente. Se não puder fazer isso pelos seus princípios, mas que ela o faça em respeito ao cargo que ocupa.
Teresina-PI, 29 de abril de 2020.
Fonte:simepi/R10