Desde que Gugu Liberato morreu, há cerca de seis meses, uma briga judicial foi travada entre a família do apresentador e Rose Miriam Di Matteo, mãe dos filhos dele

O problema é que uma terceira pessoa entrou na disputa, trata-se de Thiago Salvático , um chef de cozinha de 32 anos que vive na Alemanha e tenta provar que, na verdade, ele é quem possuía uma união estável com o comunicador. No “Fantástico” do último domingo (17), ele falou sobre essa relação. A reportagem.

“Desde o falecimento do Gugu eu tenho tentado preservar a minha intimidade, a minha história com ele, no entanto essa história tomou uma dimensão muito grande”, disse Thiago que tentar provar na Justiça que desde 2011 vivia um relacionamento estável com o apresentador.

“A minha relação com o Gugu foi uma relação de duas pessoas solteiras, foi uma relação baseada em muito amor, cumplicidade e comunhão de vidas”, declarou o chef de cozinha. “Eu tenho muito orgulho de ter vivido. Eu posso falar com a tranquilidade de quem conviveu mais de oito anos com ele que o sonho dele era viver em um mundo sem preconceito, sem julgamentos pela orientação sexual e que as pessoas pudessem manifestar livremente o amor, sem sofrer qualquer tipo de consequência”, acrescentou.

Ao “Fantástico”, Rose Miriam disse que Gugu jamais pronunciou o nome de Thiago e que se ele estivesse vivo jamais assumiria uma relação que ela considera extraconjugal. “Ele jamais constituiria uma família que não fosse a nossa, Gugu era muito feliz com a nossa família, comigo, com o João, com a Sofia e com a Marina”, declarou.

O advogado de Rose, Nelson Willians, falou que fotos de viagem com Gugu, como as divulgadas por Thiago, não comprovam uma união estável. “É um relacionamento oculto e, desculpe, mas é uma traição a Rose”, afirmou.

Mauricio Traldi, advogado que representa Thiago, rebateu dizendo o seguinte: “Não se tratava de uma união secreta, oculta, sigilosa ou clandestina. Eles não tinham nenhuma obrigação de comunicar ao mundo que eles tinham um relacionamento, principalmente porque se tratava de uma união estável homoafetiva, com motivos relevantes para preservar a intimidade do casal”. O profissional também disse que as pessoas próximas a Gugu conheciam o chef de cozinha e a importância dele na vida do comunicador.

Enquanto essa questão não é resolvida, o inventário continua parado. Caso Rose ou Thiago consiga comprovar a união estável na Justiça, isso dá direito a metade do patrimônio deixando por Gugu – avaliado em cerca de R$ 1 bilhão.

Fonte/IG/Gente