UFC reprodução

Representantes do Ultimate fizeram uma contribuição milionária para estudos médicos a respeito de traumas cerebrais.

De acordo com informações divulgadas à imprensa na tarde desta quinta-feira (7), o UFC doou US$1 milhão (cerca de R$5,4 milhões) ao Centro de Saúde Cerebral Lou Ruvo, localizado em Las Vegas (EUA).

“O UFC, a principal organização mundial de artes marciais mistas, anunciou hoje uma extensão de cinco anos de sua longa colaboração com a Clínica Cleveland e seu apoio contínuo ao Estudo de Saúde Cerebral dos Atletas Profissionais”, diz parte do texto divulgado pela assessoria do Ultimate.

A ideia da contribuição é dar seguimentos nos estudos que buscam entender e preservar a integridade física dos atletas praticantes de esportes de contato. É sabido que o acúmulo de impactos recebidos na cabeça pode gerar traumas sérios, causando risco de morte. Ao longo dos anos, a ciência tem buscando entender e minimizar os perigos da Encefalopatia Traumática Crônica (ETC).

“A UFC tem orgulho de continuar apoiando tanto a Clínica Cleveland quanto o Estudo de Saúde Cerebral dos Atletas Profissionais. O UFC tem apoiado este estudo desde seu início, e nos orgulhamos de estar na vanguarda de ajudar a estabelecer novos padrões para a saúde e segurança dos atletas em todos os esportes. O Dr. Bernick e o Dr. Ritter estão fazendo um trabalho incrível, e estamos ansiosos para ajudá-los a avançar em suas pesquisas”, disse o Chefe de Operações do Ultimate, Lawrence Epstein.

De acordo com o documento enviado, o Estudo de Saúde Cerebral de Atletas Profissionais conta com 800 atletas ativos e aposentados. Os indivíduos se apresentam de forma voluntária e as avaliações são realizadas de forma voluntária e contínua. No processo, é administrada a função cerebral e as pessoas são submetidas a exames de ressonância magnética para uma percepção mais aprofundada. Os testes são feitos uma vez por ano durante quatro anos.

Além do MMA, diversos outros esportes apresentam históricos de problemas de lesões cerebrais. Grandes exemplos são o boxe e o futebol americano.

*Com as informações do UFC