Além dos quatro suspeitos de acessar as mensagens de Sergio Moro, a Polícia Federal também identificou um homem de onde teriam partido ligações para o número do ministro — artifício que permitiu a clonagem.

A informação é do Antagonista.

Trata-se de Anderson José da Silva. Segundo a PF, era quem estava cadastrado no sistema da empresa BRVOZ, que permite modificar o número do celular que faz a ligação — no caso, para copiar o número do ministro, enganar o Telegram e obter o código de acesso para as mensagens.

Ainda de acordo com a PF, Anderson também efetuou ligações para o desembargador Abel Gomes (do TRF-2), para o juiz federal Flávio Lucas (da 18ª Vara Federal do Rio) e para os delegados da PF Rafael Fernandes e Flávio Vieitez Reis (ambos de São Paulo). com as informações da conexão politica.